Estudo Bíblico para a Escola Bíblica on line. Tema: O estresse na família

O estresse na família

Texto Base:

SI 31.9-13

Texto Áureo:

“Eu me alegrarei e rego­zijarei na tua benignida­de, pois tens visto a mi­nha aflição, conheceste as angústias de minha alma” (SI 31.7)

Leituras Diárias:

Segunda

Gn 45.1-15 Terça

Gn 50.15-24 Quarta

SI 55.12-23 Quinta

Jo 11.17-27 Sexta

Jo 11.28-44 Sábado

2 Co 11.22-31 Domingo Rm 8.35-39

Objetivos da Lição:

1.Levar o aluno a entender como algu­mas famílias cujas his­tórias são relatadas na Bíblia lidaram com o estresse.

2.Enfatizar a neces­sidade de comparti­lharmos nossos, senti­mentos e nosso es­tresse com outras pes­soas, e, de maneira especial, com o sobe­rano Deus de amor.

 

INTRODUÇÃO

A frase “Eu estou com estresse” é tão co­mum que a gente, às vezes, nem presta muita atenção à mesma. O estresse afeta pessoas de todas as idades e classes sociais, de todos os lugares e em todas as épocas, crentes e des­crentes… E as razões são tantas. Até mesmo os atuais meios de comunicação, assunto da lição passada, contribuem!

Pode-se perguntar, então: Será que o povo da época bíblica, daquele período tão tranquilo, vai ter algo a nos ensinar?

 

1.FAMÍLIAS BÍBLICAS EM SITUAÇÕES ESTRESSANTES

Gênesis 12.10-20 descreve a situação estressante em que Abrão se encontrou numa terra nova (Egito), e com medo de rivais que pudessem gostar de Sarai. Ele reagiu mal, men­tindo e exigindo que sua esposa mentisse – ape­sar dos dois estarem de posse das ricas pro­messas do SENHOR quanto à sua descendên­cia.

José passou a vida toda estressado! – abandonado pelos seus, numa terra nova, fal­samente acusado, esquecido… Mas ele admi­nistrou bem todo o estresse (como se vê em Gênesis 41.51-52 e 45.5-8, por exemplo); não descontava suas amarguras e seu estresse na esposa, nos irmãos, no Faraó.

O povo de Israel, aquela enorme famí­lia que passou muitos anos atravessando o de­serto rumo à Terra Prometida, enfrentou situa­ções estressantes – fome, cansaço, inimigos – mas as administrou mal, com murmurações constantes, reclamações sem fim (Nm 11.1-9).

E que tal pensar no estresse enfrentado por Daniel e sua família (que nunca mais viu o filho querido quando ele foi levado à Babilônia)? Ou no de Elias, ao sentir-se sozinho? Ou no da família de Noemi no livro de Rute? Exemplos bíblicos é que não faltam.

 

2.CAUSAS’ DE ESTRESSE

É fácil fazer aquela lista caseira de fatores provocadores de estresse: cansaço físico, problemas financei­ros, excesso de trabalho e respon­sabilidades, problemas de saúde, bri­gas constantes, a presença de um alcoólatra ou de um drogado no lar, a morte de alguém bem especial, de­semprego, um novo emprego, pro­blemas matrimoniais… Dizem que até grandés alegrias, tais como o iní­cio do casamentó, a chegada de um filho, ou até as festas natalinas, pro­vocam estresse!

Mas, por incrível que pareça, con­forme o ensino da Bíblia, a gente não pode dizer que estes fatores causam estresse. São simplesmente coisas e situações ‘normais’, algo a ser espe­rado num mundo caído, totalmente afetado pelo pecado. “No mundo vocês vão sofrer” (João 16.33, con­forme a Nova Tradução na Lingua­gem de Hoje, NTLH), prometeu Je­sus. E alguém calculou que, em 2 Coríntios, Paulo cita 45 situações estressantes que ele enfrentou como bom missionário que era!

O estresse ocorre quando nós re­agimos de maneira errada às pres­sões normais da vida. Por isso, o autor cristão e médico, Richard Ecker, chega a falar do “mito” do estresse: ele entende que estresse não existe! Reações erradas é que existem! E nem valem a pena! “Nenhum de vocês pode encompridar a sua vida, por mais que se preocupe com isso” (Mt6.27, NTLH).

 

3.ESTRESSE NA FAMÍLIA AMADA POR JESUS

Em João 11, a família de Lázaro e suas irmãs está passando por um período de estresse, devido, em pri­meira instância, à enfermidade dele, e depois à sua morte.

As reações di­versas descritas no capítulo são esclarecedoras:

Muitos vizinhos e amigos, que­rendo ajudar, “tinham vindo ter com Marta e Maria, para as consolar” (11.19).

Marta reagiu, recriminando, acu­sando Jesus de negligência (v.21). Somente depois (v.22-27), ela pas­sou a conversar mais calmamente com Jesus e a entender melhor a questão.

Maria “ficou sentada em casa” (v.20), parada, e sem saber o que fazer, fez nada. Somente depois ela chorou (v.33).

Jesus chorou (v.35), e muito (v.38).

E a gente fica a pensar se o choro de Jesus não aumentou o desespero geral: “Puxa, se até Jesus está achan­do a situação ruim…” Além do mais, Jesus sabia que Ele ia fazer o mila­gre! Para que Se estressar, e es- tressar todo o povo? Sem dúvida, nós teríamos pedido para Jesus Se acalmar!

Essas quatro reações à situação estressante não deixam de fornecer um modelo a ser seguido hoje:

  • Não se isole! Permita que ami­gos e familiares ajudem!
  • Não fique somente nas acusa­ções, na recriminação! Converse! Tente entender!
  • Chore! Não fique no canto, quie- tinho, silencioso!
  • Chore mesmo! É lícito chorar! Até Jesus o fez!

Dois elementos chaves na admi­nistração de estresse na família so­bressaem neste texto bíblico:

  • a necessidade de expressar nos­sos sentimentos abertamente, cho­rando, no caso, e
  • a necessidade de discutir o pro­blema racionalmente.

 

4.ESTRESSE NA VIDA DE DAVI

Antes de prosseguirmos com a li­ção, pare você um pouco para pen­sar nos MUITOS relatos acerca do estresse na família de Davi! Faça uma pequena lista de alguns…

O Salmo 31 retrata bem como Davi lidou com estresse – pelo me­nos numa determinada ocasião.

4.1.Davi conseguiu identificar as diversas dimensões do seu estresse:

  • emocional-, “atribulado… triste­za… gemidos” (v.9,10)
  • físico: “gasta-se a minha vida… debilita-se a minha força… meus os­sos se consomem” (v.10)
  • social: “opróbrio para… adver­sários, espanto para… vizinhos, e horror para… conhecidos: os que me vêem na rua fogem de mim” (v.ll)
  • mental: “Estou esquecido (v.12)… Tenho ouvido a murmuração de muitos… conspirando contra mim” (v.13).

4.2.Davi conseguiu adminis­trar bem a crise. Como?

Ele possuía uma correta dou­trina de Deus, tendo-o como o:

  • Deus grande e poderoso: “rocha… fortaleza… verdadeiro… bondoso… misericordioso” (v.3, 5, 7, 16).
  • Deus digno de louvor em toda e qualquer situação (v.l)
  • Deus que pode ser invocado (v.17), e que ouve (v.22)
  • Deus salvador (v.5)
  • Deus que tem todos os nossos dias em Suas mãos (v.15).

Enfim, Davi cria num Deus sobe­rano e amoroso, e esta sua fé o sus­tentou no momento de estresse. Cul­par o diabo pelo estresse não resol­ve nada, e nem tampouco culpar um temperamento fechado, depressivo… É preciso correr para Deus, ter uma fé bíblica, fé no Deus da Bíblia.

Ele pediu coisas especí­ficas de Deus. “Livra-me… Me gui­arás… Tirar-me-ás do laço… Faze resplendecer o teu rosto… Emude­çam os lábios mentirosos” (v.2, 3, 4, 16, 18).

Ele decidiu alegrar-se (v.7), e decidiu olhar para além de si, de seu problema pessoal (v.23- 24).

 

5.PREPARANDO-SE DE ANTEMÃO PARA SITUAÇÕES ESTRESSANTES

Seria tão bom se pudéssemos to­dos saber de antemão quais as situ­ações que vamos enfrentar ao longo dos anos! Você acha que seria mes­mo bom?

Pensemos um pouco, por exem­plo, no caso de Maria, mãe de Jesus. Enquanto no Templo ao lado de sua pequena família, “Simeão os aben­çoou e disse a Maria: Eis que este menino está destinado tanto para ruína como para levantamento de muitos em Israel, e para ser alvo de contradição (também uma espada traspassará a tua própria alma)” (Lc 2.34-35). Que mensagem estressante! Um aviso que a vida de seu filho em nada seria fácil, que ela ia sofrer… Mas Maria já estava devida­mente preparada para tudo: “Aqui está a serva do SENHOR; que se cum­pra em mim conforme a tua palavra” (Lc 1.38). Isto é, ela já entregara toda sua vida a Deus, e não havia mais o que “perder”.

 

CONCLUSÃO

Talvez seja este o melhor remé­dio preventivo contra o estresse; entregar-se 100% a Deus. Entregar família, futuro, finanças, saúde, ini­migos, amigos, relacionamentos… Permitir que Deus seja de fato aque­le “SENHOR que, dia a dia, leva o nosso fardo”.(SI 68.19). É assim que Ele quer ser em nossa experiência.

Falta ao coração dorido Gozo, paz, consolação? É porque não confiamos TUDO A ELE em oração. (Salmos e Hinos n° 140).

 

 

 

É formado em Teologia,  Análise e desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. Especializado  em Tecnologias de aprendizagem a distância,  produção de conteúdos digitais para a Internet e Mestre em Teologia.

 >>  MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O AUTOR

compartilhe esta mensagem:

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest
Print
Email

Postagens relacionadas

CURSOS EAD
Faça um curso Ead 
Gratuito
com certificação

Cursos a distância gratuitos

Cursos Ead parceria 
Setebras

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Mais informações aqui

Curso Ead: Gestão de Projetos

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Gestão de Projetos

Mais informações aqui

Curso Ead: Inovação e Criatividade

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Inovação e criatividade

Mais informações aqui
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
POSTAGENS ANTERIORES

Faça um curso teológico Gratuito

QUER FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA GRATUITAMENTE?

Faça um curso de teologia com acesso gratuito a todo o conteúdo em nosso ambiente de educação a distância. 

 

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES


 

Veja também o nosso vídeo divulgativo:

Assine este site.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 6.994 outros assinantes