Pastor Josias Moura

Estudos Bíblicos, sermões, cursos ead, Teologia, Bibliotecas digitais, apostilas

Encontro de homens, mulheres e jovens. Tema: Evitando o partidarismo

Evitando o partidarismo

Filipenses 2.3

INTRODUÇÃO

Em nosso relacionamento com outras pessoas, sobretudo no serviço do Senhor, normalmente nos deparamos com indivíduos muito diferentes de nós, e essa diferença precisa ser trabalhada para não prejudicar a comunhão. Devemos cultivar a mansidão, o domínio próprio e a longanimidade no trato com nossos irmãos de ministério e em hipótese alguma permitir que a obra de Deus sofra ou se prejudique por motivos carnais como: o ciúme, a inveja, o partidarismo, a autoglorificação etc. Na verdade, essas indispensáveis virtudes espirituais são traços da beleza de Cristo que devemos incorporar ao nosso caráter na continuidade da vida cristã, e indicam que estamos amadurecendo, crescendo espiritualmente.

Proposição: A humildade rechaça todo egoísmo e outros sentimentos que nos separam.

I- “NADA FAÇAIS POR PARTIDARISMO OU VANGLORIA.”

O que fizermos para Deus em Sua obra precisa estar revestido de intenções boas e movido por coisas certas. O egoísmo é obra da carne e próprio de criancinhas em Cristo (veja Hebreus 5.12-14), de crentes neófitos e ou indolentes, que aprendem muito da Palavra, mas não vivem quase nada do que já aprenderam (Tiago 1.22). Judas Iscariotes é um exemplo de alguém que “colaborou” com Cristo pelo motivo errado (vantagem pessoal).

Aversão atualizada traz “partidarismo”, e a corrigida “contenda”, todavia, no original (epitheia) a tradução requer “rivalidade ou ambição egoísta”. Em outras palavras, está em foco uma espécie de pessoa que disputa posições de governo ou liderança na igreja, que briga e causa confusão o tempo todo com o objetivo de obter espaço e força. Neste caso, o conceito de servo ou de serviço sequer é considerado, porque prevalece apenas o desejo pelo cargo ou posição.

Quando Paulo emprega o termo “vangloria” (kenodoxia), cujo sentido aponta para algum tipo de louvor vazio ou vaidade pessoal, ele ataca de frente uma das três áreas que normalmente derrubam uma pessoa moralmente falando. A busca por reconhecimento, notoriedade, ou a sede pelos “holofotes” podem pôr a perder o ministério e a própria vida de qualquer servo de Deus.

A mistura de egoísmo com vangloria não podería ser mais prejudicial para a saúde comunitária da igreja local, uma vez que ela produz no indivíduo presunçoso um desejo inconsciente de tomar para si a glória (doxa – 1.11) que pertence somente a Deus. Esse impulso carnal de notoriedade nos leva a desprezar os esforços e mais diretamente a pessoa que trabalha conosco no ministério, porque nos consideramos melhor do que ela.

II- “MAS POR HUMILDADE”

A humildade embeleza o caráter do crente, além de ratificar a sua filiação com Deus. Cristo é o nosso maior exemplo de humildade e de trabalho abnegado ou sem o desejo de aparecer. Quem fazia as coisas para ser visto pelos outros eram os religiosos do tempo de Jesus, aos quais Ele chamava de hipócritas {veja Mateus 23.5-7). O antídoto para o mal do egoísmo e da vangloria chama-se humildade.

Fazer a obra de Deus movido pela humildade é o mesmo que trabalhar sem esperar uma recompensa imediata, sem esperar reconhecimento humano. Quem precisa ver nossa obra é Deus (veja Mateus 6.6) que sabe, além de tudo, provar a qualidade de cada uma delas (ICoríntios 3.11-15). A Bíblia declara que no “dia do acerto de contas”, Ele vai recompensar cada feito nosso que favoreça o crescimento de Sua obra na terra (ICoríntios 15.58).

O contrário de humilde é arrogante, soberbo, prepotente. Quem deseja se sobrepor aos outros ou evita a todo custo o trabalho em equipe tem dificuldade séria de convivência e precisa ser tratado no caráter. Somos arrogantes quando fazemos a obra do Senhor buscando outras coisas que não o engrandecimento do Reino de Deus, por exemplo, cargos superiores, reconhecimento e elogios, vantagens econômicas etc.

O que fortalece a nossa humildade é o reconhecimento de que não somos perfeitos, e que temos fraquezas que funcionam como “…espinho na carne” (2Co 12.7) nos lembrando de nossa humanidade e da dependência que temos da graça de Deus. Esta é a forma que o Senhor emprega para manter nosso ego sob controle e nos incentivar a manter nosso velho homem crucificado (veja Gálatas 2.19).

III- “CONSIDERANDO CADA UM OS OUTROS SUPERIORES A SI MESMO”.

Para obedecermos a esse mandamento apostólico, precisamos antes de tudo estar certos de que somos realmente nascidos de novo, e que o “velho ego” permanece cravado com Cristo na cruz (veja Gálatas 2.19), isto porque a “carne” busca permanentemente o contrário (Lucas 18.11,12), ela deseja sempre ser a primeira, estar em destaque e com frequência emprega todo jogo sujo (por exemplo: a mentira, críticas ferinas etc.) para conseguir isso.

Precisamos “considerar” (egoumenoi) ou pensar em relação ao corpo ministerial da maneira mais simples e modesta possível, pois é Deus quem chama e capacita cada um e, normalmente Ele não vocaciona pessoas que já possuem algo que aparentemente os recomenda para a Sua obra, antes é Seu prazer usar e equipar cada um de nós para que a glória seja sempre Sua (veja I Coríntios 1.26-29).

Somos falhos e fracos, mas Deus é perfeito e Todo-poderoso. Reconhecemos isto na prática quando damos aos nossos companheiros de ministério a honra e a dignidade que acreditamos merecer (veja Romanos 12.3).

CONCLUSÃO

Em Corinto havia o PCC (partido das contendas e ciúmes) e era constituído somente por crentes carnais, criancinhas em Cristo (veja I Coríntios 3.1-3). Já em Filipos havia o PV (partidários da vangloria) constituído por indivíduos que queriam aparecer mais do que Cristo. Depois de tudo que foi dito, é nosso desafio fazer a obra de Deus de modo altruísta, sem egoísmo e que contribua para a unidade, além, é claro, de considerarmos os outros melhores do que nós mesmos.

Fonte: https://pastorjosiasmoura.com/

Para Mais informações acesse: http://setebras.hospedanet.org/

É formado em Teologia,  Análise e desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. Especializado  em Tecnologias de aprendizagem a distância,  produção de conteúdos digitais para a Internet e Mestre em Teologia.

 >>  MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O AUTOR

compartilhe esta mensagem:

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest
Print
Email

Postagens relacionadas

CURSOS EAD
Faça um curso Ead 
Gratuito
com certificação

Cursos a distância gratuitos

Cursos Ead parceria 
Setebras

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Mais informações aqui

Curso Ead: Gestão de Projetos

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Gestão de Projetos

Mais informações aqui

Curso Ead: Inovação e Criatividade

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Inovação e criatividade

Mais informações aqui
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
POSTAGENS ANTERIORES

Faça um curso teológico Gratuito

QUER FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA GRATUITAMENTE?

Faça um curso de teologia com acesso gratuito a todo o conteúdo em nosso ambiente de educação a distância. 

 

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES


 

Veja também o nosso vídeo divulgativo:

Assine este site.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 6.988 outros assinantes

Rolar para cima
%d blogueiros gostam disto: