Lição 06 EBD. Tema: Responsabilidade com os vários grupos na igreja

Lição 06 – Responsabilidade com os vários grupos na igreja

I Timóteo 5.1—6.2, Hebreus 3.12-13

“Tenham cuidado, irmãos, para que nenhum de vocês tenha um coração mau e descrente, que o leve a se afastar do Deus vivo. Pelo contrário, animem uns aos outros…”.

A igreja é um dos poucos lugares da sociedade onde se pode obter auxílio e orientação para todas as áreas da vida, para todo tipo de pessoa, em qualquer idade. Por meio da palavra de Deus, a igreja tem o poder de transformar o ser humano de dentro para fora, e de modo surpreendente mudando, assim, a sociedade.

Essa é a nossa responsabilidade e, ao mesmo tempo, um grande privilégio. Qual outro ensino pode transformar assim? Se não a igreja, pela Palavra, quem poderá orientar a todos os homens rumo a Deus?

 

I.Ministrando a diversos grupos sociais (ITm 5.1-2)

Ao mesmo tempo em que precisamos ter um olhar para o mundo em que vivemos, para a sociedade na qual estamos inseridos, precisamos também focar nas pessoas que já estão fazendo parte da igreja do Senhor.

Sendo nossa tarefa, conforme a palavra de Jesus, ensinar “aguardar todas as coisas que tenho ordenado a vocês” (Mt 28.20), precisamos fazer isso de modo relevante para cada grupo de pessoas que temos sob nossos cuidados.

Todo cristão é responsável por compartilhar a palavra de Deus, por exortar uns aos outros Hb 3.13), por edificar uns aos outros (Ef 4.29). Portanto, temos de procurar, com zelo, cuidar para que todos: idoso, moço, mulher, moça, sejam ministrados de modo respeitoso e apropriado.

1.Exortar com consideração

Exortar = encorajar; consolar

  • Aos homens idosos: respeito como é devido ao pai;
  • Aos moços: respeito como é devido ao irmão;
  • Às mulheres idosas: respeito como é devido à mãe;
  • Às moças: respeito como é devido à irmã.

Com toda a pureza: como é devido a todos os irmãos, em todas as circunstâncias e, especialmente, devido às moças, por um jovem pastor. Devemos, portanto, exercer a exortação, em amor, com consideração e respeito, de modo puro, isento de vaidade, soberba ou vangloria.

“Toda exortação que busca atingir o coração errará o alvo se não partir de um grande respeito, de uma profunda consideração perante o caráter único da condição do outro como criatura. Antes violentará, esmagará o outro, constrangendo-o ou escravizando-o em vez de libertá-lo” (lTimóteo, Comentário Esperança).

2.Falar ao coração

O jovem pastor Timóteo deveria estar seguro de quem era (2Tm 1.6) e da função que ocupava diante da igreja. Isso o livraria de ser rude, autoritário e/ou negligente com as pessoas, por motivo de insegurança pessoal. E tarefa exortar seja quem for, mas nunca sem amor e respeito. Ele, assim como todos os irmãos, deve exortar “uns aos outros” em amor, visando alcançar o coração ao final.

 

II.Ministrando às viúvas (1Tm 5.3-16)

A divisão de funções na igreja se mistura com o surgimento das necessidades das viúvas (At 6.1). Paulo, sabendo que Timóteo tinha também dilemas na igreja para lidar sobre esse assunto, traça um caminho para tomada de decisão de como socorrer e quando socorrer a viúva.

1.”Aquela que é viúva de fato”(v.5,9-10

Já mencionamos que todas as pessoas devem ser tratadas com respeito, isso inclui, portanto, todas as viúvas. Mas há um grupo específico de viúvas que Paulo ressalta que de modo algum devem ser esquecidas: “as que são verdadeiramente viúvas”. São aquelas que, perdendo o marido, fonte de “recurso para manutenção”, não tenham ninguém para assisti-las, exceto Deus. Em Deus, elas buscam o auxílio constantemente. A estas, devemos uma “honra” especial, ou seja, olhar atento, cuidadoso, mantenedor e amoroso; fazendo o possível para suprir suas necessidades. Uma série de características é apontada como atitudes especiais de uma viúva cristã que deve, portanto, ser assistida pela igreja:

  • mais de 60 anos (bem específico para o contexto local da carta);
  • esposa de um só homem;
  • bom testemunho de boas obras;
  • criou bem os filhos;
  • acolheu a estranhos;
  • lavou os pés dos santos, ou seja, prestou serviços humildes aos que pertencem ao povo de Deus;
  • socorreu o aflito;
  • viveu de modo digno.

2.Viúvas que têm família (v.4,8,16)

A igreja deve suprir a “desamparada”, mas, aquela que tem família, a igreja deve instruir e motivar a família a ser a principal mantenedora da viúva. A responsabilidade direta é da família que deve amparar (v.16) e não ficar “sobrecarregada a igreja”. E isso é agradável diante de Deus (v.4).

Esse é um ponto delicado na prática, pois nem todas as famílias têm essa consciência, ficando algumas viúvas em situação crítica. A estas, entendo que a igreja deve considerar auxiliar, apoiar e motivar, lembrando que a igreja não está no mundo para cumprir “assistencialismo”, e sim para mover as pessoas a uma condição de vida digna.

3.Viúvas vivas, mas mortas (v.6-7)

“A verdadeira viúva está viva porque está acordada em Deus; a que vive levianamente já morreu” (ITimóteo, Comentário Esperança}.

Qualquer pessoa, inclusive aviúva, que ainda não reconheceu ajesus como seu Salvador, mesmo estando viva, está morta espiritualmente. É necessário crer em Cristo para receber a vida que Deus dá (Ef 2.1,8-9). Deus deve ser a nossa fonte de vida, porque Jesus é a vida (jo 14.6). Às vezes, essas viúvas vão viver uma vida dissoluta e sobrecarregar a igreja com seus pedidos e necessidades. Devemos ter discernimento em ajudar tais pessoas, pois as Escrituras afirmam que para serem ajudadas precisam demonstrar, antes de tudo, que são mulheres de Deus.

4.Viúvas mais novas. (v.11 -15)

 

III.Ministrando aos irmãos na liderança (ITm 5.17-25)

Paulo instrui o pastor Timóteo a preocupar-se com o perigo:

  • da falta de cuidado material dos presbíteros (v. 17);
  • de se aceitar denúncia contra presbíteros sem o depoimento de duas ou três testemunhas (v.19);
  • da negligência em disciplinar, publicamente, os presbíteros que vivem no pecado (v.20);
  • de impor precipitadamente as mãos para a ordenação de presbíteros correndo o risco de se tornar cúmplice de pecados de outrem – pois os pecados de alguns são notórios (o que facilitaria a rejeição do homem ao cargo de liderança), mas de outros só mais tarde se manifestam, ou seja, é necessário cautela (v.22,24).

 

IV.Ministrando aos escravos (1Tm 6.1-2)

É dever do ministro de Deus orientar os que se encontram em posição de servo (empregado) a:

1.Considerarem dignos de toda honra o próprio senhor (patrão)

Mesmo que o patrão seja descrente, devem agir dessa forma.

  • Porque é uma ordem – “considerem”, vem de egeomai que pode ser traduzido tam­bém por: conduzir; pensar que; acreditar; considerar como, tomar alguém por algo. O verbo se encontra no presente do imperativo, devendo ser considerado uma ordem de ação contínua.
  • Para que o nome de Deus e a doutrina não sejam blasfemados – Deus é poderoso para que, por meio de um testemunho exemplar, mesmo aqueles que se encontram em. posição de escravidão, sejam instrumentos para conduzir seus senhores ao conhecimento de Cristo.
  • Porque agindo assim demonstram temor ao Senhor (Cl 3.22).
  • Porque receberão do Senhor a recompensa da herança (Cl 3.24; Ef 6.8)

2.Considerarem dignos de toda honra o próprio senhor

Principalmente se for crente (lTm 6.2). Cuidados a serem evitados:

  • Desrespeito, “não o tratem com desrespeito” – Alguns passam do limite do bom senso por estar trabalhando para um irmão em Cristo. Abusam da identidade (cristão) para agir com leviandade.
  • Negligência, “trabalhem ainda mais” – Um crente que serve a um senhor crente deveria ver nisso uma oportunidade de, juntos, glorificarem a Deus ainda mais. Mas infelizmente, muitos abusam da identidade (cristão) para agir com irres­ponsabilidade, achando que serão perdoados e jamais punidos (no caso dos escravos) ou demitidos (na atualidade).

 

Conclusão

A falência do alcance do testemunho cristão tem suas raízes num ensino fraco aos diversos grupos na igreja. De certo que cada igreja tem seu “perfil”, mas nenhuma pode ser estéril em ministrar aos diversos grupos que a compõem.

 

compartilhe esta mensagem:

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest
Print
Email
CURSOS EAD
Faça um curso Ead 
Gratuito
com certificação

Cursos a distância gratuitos

Cursos Ead parceria 
Setebras

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Mais informações aqui

Curso Ead: Gestão de Projetos

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Gestão de Projetos

Mais informações aqui

Curso Ead: Inovação e Criatividade

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Inovação e criatividade

Mais informações aqui
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
POSTAGENS ANTERIORES

Faça um curso teológico Gratuito

QUER FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA GRATUITAMENTE?

Faça um curso de teologia com acesso gratuito a todo o conteúdo em nosso ambiente de educação a distância. 

 

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES


 

Veja também o nosso vídeo divulgativo:

Assine este site.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 7.182 outros assinantes