Sermão para culto em ações de graças. Tema: Um coração cheio de gratidão

Palavra minstrada pelo Pr Josias Moura no culto em ações de graças realizado na casa dos irmãos Alexandre e katiane.

Um coração cheio de gratidão

Que darei ao Senhor por todos os seus benefícios para comigo?(Sl 116:12).

Introdução

Ao pensar nesta ocasião em que nos encontramos aqui reunidos, Deus me conduziu a falar acerca de gratidão.

Gratidão é o reconhecimento de uma pessoa por alguém que lhe prestou algum benefício, um auxílio, um favor etc… A gratidão envolve um sentimento de dívida para com outra pessoa que é frequentemente acompanhado por um desejo de agradecê-la. Quando temos um coração grato não dependemos de circunstâncias para agradecer.

A Bíblia da ênfase a gratidão.

Vejamos por exemplo a história de Lucas 17:11. Nesta passagem, Jesus estava a caminho de Jerusalém, com a data da crucificação se aproximando. Ao passar entre a Samaria e a Galiléia, se aproxima de uma aldeia cujo nome não se registra. E fora desta aldeia, dez leprosos acampados em tremendo abandono e vergonha.

Claramente nove destes leprosos eram judeus, e um era samaritano. Ora, os judeus daquele tempo nem encostavam nos samaritanos, muito menos viviam com eles. Mas aparentemente, o sofrimento em comum destes dez os juntara na dor que compartilhavam.

Se você já estudou sobre a lepra, então consegue imaginar em que condições sórdidas eles viviam. Eram obrigados a viverem num acampamento longe da cidade. A lei exigia que os leprosos ficassem à distância de pelo menos 100 metros dos não enfermos. Quando passava alguma pessoa, os doentes tinham de gritar: “Impuro, impuro!”

Dependendo da duração da lepra, uns tinham perdido dedos das mãos, dos pés, orelhas, dentes, braços, nariz. A pele possuía lesões e estava podre – e o mau cheiro e o aspecto eram insuportáveis. Estes homens mendigavam, pediam, e ingeriam comida que os outros nem iriam querer olhar. Provavelmente viviam do lixo.

Porém, o que mais atormentava estes leprosos, era a lembrança dos queridos que tiveram de abandonar quando o sacerdote os declarou imundos. Eles perderam esposas que os amavam, filhos adoráveis que brincavam com eles. Perderam lares, carreiras, o respeito, e qualquer esperança de serem úteis. Alguns deles provavelmente haviam sido judeus fiéis, enraizados na tradição da igreja. Contudo agora estavam acampados fora de uma aldeia sem nome, expostos, num viver de vergonha e sofrimento inexprimíveis.

E ali fora da cidade, aqueles homens encontram JESUS, e começam a implorar por ajuda. Jesus ordena que eles fossem para Jerusalém com a finalidade de se apresentar ao sacerdote, pois só o sacerdote poderia declará-los puros.

No caminho eles, observam que um milagre havia acontecido. Entre eles havia um samaritano. Quando este samaritano percebe que tinha sido curado resolve voltar ao encontro de Jesus, louvando a Deus em voz alta.

Ao encontrar-se com Cristo, este lhe pergunta: Não foram dez os que foram curados, onde estão os nove?

Esta pergunta de Cristo nos revela uma forma errada de muitas pessoas se relacionarem com Deus.

Hoje, muitos agem como os nove que não voltaram para agradecer.

Isto me faz perguntar por que é que, em cada geração, há um remanescente que corre atrás de Jesus cheio de ações de graças? Por que Deus sempre tem um, em meio a dez, que deixa tudo e volta só para adorar e louvar a Cristo – enquanto os outros noventa por cento continuam na rotina?

Ele voltou porque queria mais do que a cura, queria mais do que os benefícios físicos ou materiais. Ele voltou porque tinha sede de Deus. Seu corpo estava curado, mas sua alma tinha um grande vazio de Deus, e certamente ele sabia que Jesus, era a fonte de água da vida.

Ao ser curado, aquele samaritano compreendeu que Jesus não era um homem comum, era o filho de Deus. Ele percebeu que era mais importante ir novamente ao encontro de Cristo do que ao encontro de um sacerdote Judeu que provavelmente o receberia com preconceito.

E por isso, ele volta para adora-lo, agradece-lo e suprir sua alma com alimento espiritual e salvação eterna.

Julgamos a estes nove porque erraram em não voltar, mas nossa tendência é parecida em muitos momentos com o comportamento deles. Procuramos a Deus para obter dEle suas bênçãos, e muitas vezes não o procuramos para exercitar relacionamento com Ele por meio da oração, e do conhecimento da sua palavra. As vezes, erramos porque procuramos a Deus por aquilo que Ele tem para nos dar, e não por Aquilo que Ele é.

A gratidão foi o sentimento que moveu aquele samaritano a voltar e adorar a Jesus por aquilo que Ele é.

No salmo lido, o salmista pergunta: Que Darei eu ao Senhor, por todos os benefícios para comigo?

O salmista aqui, esta pensando numa forma de retribuir a Deus, por tudo aquilo que Deus lhe fez. Sua atitude é semelhante a do samaritano que volta para retribuir a Cristo o bem que havia recebido com Gratidão e louvor. E não há outra forma melhor de pagar o bem recebido do que com gratidão.

É movido por gratidão que o salmista pergunta: Que posso dar ao Senhor como forma de expressar minha gratidão?

Certamente esta pergunta poderia também ser feita por cada um de nós: Que posso dar ao Senhor, que gesto posso ter, ou que comportamento como forma de expressar minha gratidão por tudo que tenho recebido dEle?

Eu te pergunto: o que eu e você podemos fazer mais para Deus, como forma de expressar gratidão? Será que nossas atitudes realmente revelam que há em nós um coração grato? Será que temos agido com compromisso na obra de Deus, como uma forma de demonstrar coração grato? Será que temos orado e meditado mais na palavra do Senhor como forma de evidenciar gratidão?

 

Conclusão

Se desejamos ser gratos, devemos ver, que há algo especial em tudo o que é colocado em nossas mãos. Seja a Igreja, o emprego, a pessoa com a qual nos casamos, a casa em que moramos, a família que temos, o ministério que realizamos na Igreja, enfim, em cada coisa que o Senhor nos tem dado.

Devemos nos lembrar que Deus é a fonte de todas as coisas boas que recebemos e que existe um princípio espiritual:  quando há gratidão, há multiplicação e há prosperidade em todas as coisas.

Será que eu e você é somos gratos a Deus independen
te das circunstâncias?

Pense, neste momento, em alguns motivos pelos quais deve agradecer mais ao Senhor.

Pense também em como poderá retribuir o Senhor por tudo que Ele tem feito. Em quais pontos você poderia melhorar para se tornar mais grato? Vamos ter um momento de gratidão a Deus por tudo que temos recebido. Cada irmão deve falar ao Senhor um motivo de gratidão agora, através da oração.

Vamos cantar o hino “GRAÇAS DOU”:

Graças dou por esta vida, / Pelo bem que revelou.

Graças dou pelo futuro / E por tudo que passou.

Coro: Pelas bênçãos derramadas, /Pelo amor, pela aflição,

Pelas graças reveladas, / Graças dou pelo perdão.

Graças pelo azul celeste / E por nuvens que há também.

Pelas rosas do caminho / E os espinhos que ela tem.

Coro: Pela escuridão da noite, / Pela estrela que brilhou,

Pela prece respondida / E a esperança que falhou.

Pela cruz e o sofrimento / E também ressurreição

Pelo amor que é sem medida, / Pela paz no coração.

Coro: Pela lágrima vertida, / E o consolo que É sem par.

Pelo Dom da eterna vida Sempre graças hei de dar!

Pr Josias Moura

compartilhe esta mensagem:

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest
Print
Email
POSTAGENS ANTERIORES

Faça um curso teológico Gratuito

QUER FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA GRATUITAMENTE?

Faça um curso de teologia com acesso gratuito a todo o conteúdo em nosso ambiente de educação a distância. 

 

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES


 

Veja também o nosso vídeo divulgativo:

Cursos a distância gratuitos

Assine este site.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 7.169 outros assinantes