Estudo para o culto de doutrina: O amor em Família

Estudo ministrado no culto de doutrina da Igreja Betel Geisel

GÊNESIS 45.1-15

A década de 60 foi revolucionada pela proposta de “paz e amor” do movimento chamado “hippie”. A sociedade foi contestada e influenciada por este movimento. A proposta correta deve ser mesmo: “paz e amor” ou “amor e paz”?

O presente estudo pretende abordar esta questão do verdadeiro amor, o qual se constitui na base fundamental para a estabilidade das famílias. Esta palavra – AMOR – que tem sido cantada em verso e prosa, precisa ser entendida e analisada à luz da Palavra de Deus.

Na sociedade atual a palavra amor está muito desgastada. Para muitos, amor é apenas sexo, prazer ou satisfação. Confundir amor com sexo é limitar o significado verdadeiro do amor. Outros tentam comprar o amor através de dinheiro e presentes. Nas famílias, geralmente, o amor tem diminuído assustadoramente. Os lares nem sempre são lugares de manifestações amorosas, mas um verdadeiro campo de bata­lha.

Mas, um outro problema é o daqueles que entendem que só devem amar os que os amam. Amar só quando se é amado é prova de um amor egoísta e condicional.

Neste estudo estão algumas idéias úteis para uma compreensão verdadeira sobre o amor na família.

LIÇÕES PRÁTICAS

1. O AMOR NA FAMÍLIA É FUNDAMENTAL PARA A SUA SOBREVIVÊNCIA

É impossível uma família sobreviver diante das crises, problemas e atritos, sem a presença do amor. O amor é a base para a sustentação dos lares e, nele, os lares precisam estar apoiados. A família é uma instituição ameaçada, mas não derrotada, pois o amor a tudo vence. A família de José conseguiu sua restauração através da manifestação do amor por parte deste que foi odiado e vendido.

“Pai e mãe hão de relacionar-se mutuamente sobre a base do amor (Ef 5.21). Este amor estabelecerá o marco de referência que não somente modela o padrão de relação entre os diferentes membros do sistema, mas que, por sua vez, permitem o crescimento dos mesmos”.

Deus é a fonte deste amor (I Jo 4.8). Cada família deve buscar no Senhor o amor para a sua sobrevivência. E preciso deixar que o Deus de amor seja o construtor de nossos lares (SI 127.1).

O que ocorre quando há o esfriamento do amor? Logo surgem a infidelidade, maus tratos, falta de diálogo, ciúmes exagerados, brigas, etc. Muitos lares já ruíram e outros estão à beira da separação, em virtude da diminuição do amor. A família só consegue sobreviver unida e feliz, por meio da existência do amor. Se há um elemento que, mais do que qualquer outra coisa, pode salvar os casamentos é o amor.

2. O AMOR NA FAMÍLIA CARACTERIZA-SE PELO ALTRUÍSMO

E característica fundamental do amor o altruísmo, ou seja, aquele que ama pro­cura fazer algo em favor de quem o ama. O amor é doação, indo assim além do romantismo.

José revelou um amor autêntico aos seus familiares, concedeu o perdão, promo­vendo assim a união familiar, oferecendo recursos para a sobrevivência dos seus que­ridos. (Gn 45.1-15; 46.28-34).

A maior prova do amor altruísta é a de Deus. Ele “deu” seu próprio Filho Unigênito em favor da salvação de todo aquele que nEle crê (Jo 3.16).

“O amor jamais reclama; dá sempre. O amor sempre tolera, jamais se melindra nunca se vinga”. (M. Gandhi).

Este espírito de um amor altruísta é possível verificar com clareza nas declara­ções de Martin Luther King: “Não digam que sou um Prêmio Nobel. Isso não tem importância. Digam que fui porta-voz da justiça. Digam que procurei dar amor, que procurei amar e servir à humanidade”.

Na família ninguém existe para ser apenas amado e servido. Ela se constitui em uma oficina de trabalho, local de constantes demonstrações de amor. O apóstolo Pedro fala dos deveres daqueles que se amam (I Pe 4.7-11). É necessário suportar uns aos outros (Ef. 4.2). Há gestos, costumes, jeitos e trejeitos os mais diferentes entre os membros das famílias. Não e fácil amar e conviver com aqueles que são diferentes. Mas é preciso “suportar”, agüentar o peso destas diferenças, “em amor”, fazendo sempre algo pela pessoa amada. O que você tem feito em benefício da felicidade do seu próximo?

3. O AMOR NA FAMÍLIA PRECISA SER DEMONSTRADO EM QUAISQUER SITUAÇÕES

Neste episódio que envolve família, é possível perceber com clareza que José demonstrou o verdadeiro amor em um contexto de rejeição e abandono. Quando seus irmãos foram ao Egito em busca de alimento e se depararam com ele no poder, eles não foram marginalizados e nem penalizados, mas alcançaram favor da parte de José. A expressão do amor é um fato que não pode ser visto em apenas alguns momentos, direcionado para algumas pessoas ou demonstrado só quando se é amado.

“Nós amamos porque ele nos amou primeiro” (I Jo 4.19). Quando Cristo nos amou, nós éramos Seus inimigos, pecadores e estávamos longe de fazer a Sua vonta­de. Mas, através de um amor incondicional, Ele nos amou e nos redimiu.

No relacionamento familiar, a prática do amor deve existir em todos os momen­tos. Aqui está um grande desafio para todos, mas é possível amar, mesmo não sendo amado; pois o amor não se resume num sentimento, mas em uma convicção e dever cristãos. É preciso estar disposto a compreender que o amor é mais que um sentimen­to. Através de atividades de compromisso, aceitação e respeito, o amor é expresso em quaisquer circunstâncias.

Concluindo, é possível declarar que o amor é algo vital para trazer a união e a felicidade nas famílias. Uma boa comunicação, um bom relacionamento sexual, a inexistência de ciúme exagerado e muito mais, só poderão ser conseguidos quando o amor estiver existindo abundantemente dentro dos lares. Uma família só poderá so­breviver, mesmo enfrentando crises, com a presença do amor verdadeiro, o qual deve ser demonstrado em quaisquer situações da vida.

“Lar não é somente quatro paredes, cheio de quartos e iluminação; lar é um san­tuário edifiçado para nele habitar a afeição”. (Marta B. Leavell)

 

DISCUSSÃO

1. Muitos casais chegam à triste conclusão de que não se amam mais. O que deve ser feito para reavivar este amor?

2. O que a pessoa que deseja ser amada deve fazer para que o seja?

3. “Amar sem ser amado”. Isto é verdade e possível de ser aplicado na convivên­cia familiar? Por quê?

Pr Josias Moura

compartilhe esta mensagem:

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest
Print
Email
CURSOS EAD
Faça um curso Ead 
Gratuito
com certificação

Cursos a distância gratuitos

Cursos Ead parceria 
Setebras

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Mais informações aqui

Curso Ead: Gestão de Projetos

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Gestão de Projetos

Mais informações aqui

Curso Ead: Inovação e Criatividade

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Inovação e criatividade

Mais informações aqui
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
POSTAGENS ANTERIORES

Faça um curso teológico Gratuito

QUER FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA GRATUITAMENTE?

Faça um curso de teologia com acesso gratuito a todo o conteúdo em nosso ambiente de educação a distância. 

 

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES


 

Veja também o nosso vídeo divulgativo:

Assine este site.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 7.180 outros assinantes