Estudo Bíblico doutrinario. Tema: A prática da mordomia na humildade

ESTUDO MINISTRADO PELO PR JOSIAS MOURA NO CULTO DE DOUTRINA DA IGREJA BETEL GEISEL.

A PRÁTICA DA MORDOMIA NA HUMILDADE

Texto Básico: Filipenses 2:1-11

1.    INTRODUÇÃO

  • Agostinho disse: “Se me perguntassem qual é a primeira coisa na religião, responderia: A primeira, a segunda e a tercei­ra coisa – sim, tudo – é a humildade!” Quão diferente é o pensamento que ocupa a mente de muitas pessoas hoje. Dizem: “Renuncia a Deus e exalta-te a ti mesmo. Nada de humildade piegas. Es senhor de teu destino e capitão de tua alma”.
  • O pecado teve a sua origem quando o homem transferiu o centro de suas afeições de Deus para si mesmo – Egocentrismo. Felizmente, o homem pode voltar atrás, destituir-se do egocentrismo e colocar Deus no centro de sua vida -Teocentrismo. Seus pensamentos e ações passam a gravitar em torno de Deus e não do “eu”. Ele descobre a real razão de sua vida, que é: “servir a Deus e exaltá-lo”.  Jesus nos capacita a viver uma vida de humildade.

2.    A HUMILDADE

Definição. Humildade é  “ausência completa de orgulho”.

1. A pessoa orgulhosa. O orgulhoso é cheio de si mesmo. Os predicados de sua personalidade são: altivez, soberba, amor próprio, autopromoção etc. Jesus falou de um fariseu que é o tipo exato de uma pessoa orgulhosa. E ele era um homem religioso, pois subiu ao templo para orar. Mas sua oração era cheia de orgulho: “O fariseu, posto em pé, orava de si para si mesmo, desta forma: O Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano; jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho (Lc 18.11,12). Este homem perdeu sua bênção. “Por-que todo o que se exalta, será humilhado” (v.14).

2. A pessoa humilde. O humilde é destituído completamente de orgu­lho. É modesto,  não se ufana das coisas que faz, não se gloria de si mesmo. Reconhece a sua insuficiência. Na mesma ocasião, disse Jesus, um publicano subiu no templo para orar: “O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: O Deus, sê propício a mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa… porque… o que se humilha, será exaltado” (Lc 18.13,14).

3. A falsa humildade. Tem que haver sinceridade. Quando a pessoa é reconhecidamente notável e tenta diminuir sua notabilidade, ela estará ten­tando transmitir uma falsa humildade. Neste caso, é preferível assumir a notabilidade, seguindo o exemplo de João Batista: “Este foi o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para lhe perguntarem: Quem és tu? Ele confessou e não negou: Confessou: Eu não sou o Cristo. Então lhe perguntaram: Quem és, pois? Es tu Elias? Ele disse: Não. Disseram-lhe, pois: Declara-nos quem és, para que demos resposta àqueles que nos enviaram; que dizes a respeito de ti mesmo? Então ele respondeu: Eu sou voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías” (Jo 1.19-23).

3.    A NOSSA HUMILDADE

1. Não há lugar para vanglória. A humildade que deve existir em nós não admite lugar para a ufania:

a. Porque somos servos de Deus. Não temos glória própria. Paulo disse: “Aquele, porém, que se gloria, glorie-se no Senhor. Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, e, sim, aquele a quem o Senhor louva” (2Co 10.17,18).

b. Porque de Deus vêm todas as coisas boas: “Porque Deus é quem efe­tua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade” (Fp 2.13). O servo de Deus não tem de que se ufanar pelo que é ou pelo que faz.

2. Mansidão. “Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra” (Mi 5.5). A mansidão expressa a qualidade de uma pessoa humilde. Quais são essas qualidades?

a. Pacificidade. Ele promove a paz. Jesus disse: “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5.9).

b. Submissão. Acata ordens superiores. “Sujeitai-vos pois a toda a orde­nação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior; quer aos governadores, como por ele enviados para castigo dos malfeitores e para louvor dos que fazem o bem” (IPe 2.13,14). Leia também IPe 5.5,6.

c. Resignação. Paciente no sofrimento. Não se desespera. Jó é o nosso exemplo maior de resignação. Diante do terrível sofrimento, “sua mulher lhe disse: Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus, e morre. Mas ele lhe respondeu: Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus, e não receberíamos também o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios” (Jó 2.9,10).

d. Simplicidade. Vejamos algumas qualidades de uma pessoa simples:

(1) Natureza pura: “Bem-aventurados os puros de coração, porque ve­rão a Deus” (Mt 5.8);

(2) Disposição fácil e acessível: “Bem-aventurados os humildes de espíri­to, porque deles é o reino dos céus” (Mt 5.3);

(3) Moderação no falar. “A palavra branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” (Pv 15.1). Paulo disse a Timóteo: “Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e, sim, deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente” (2Tm 2.24).

4.    CONCLUSÃO

Muitos cristãos estão sendo desafiados a viver uma vida cristã vitoriosa. No bojo dessa “vida vitoriosa”, raramente se abre espaço para a humildade, com um estilo bíblico de vida cristã. Por isso, alguns levantam a cabeça e pisam os outros. Porque não aprenderam as lições da humildade. “A humil­dade precede a honra”, diz Provérbios 15.33b. “Deus resiste aos soberbos, contudo aos humildes concede a sua graça” (I Pe 5.5b).

O maior símbolo de humildade é o próprio Senhor Jesus, que, “subsis­tindo em forma de Deus não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte, e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu um nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Se­nhor, para glória de Deus Pai” (Fp 2.6-8).

5.    PERGUNTAS DA LIÇÃO

1. Qual foi a origem do pecado? 2. Cite algumas características de uma pessoa orgulhosa. 3. O que é uma pessoa humilde? 4. Quais são os três destaques desta lição sobre a simplicidade? 5. Quem é o nosso maior exemplo de humildade?

compartilhe esta mensagem:

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest
Print
Email
CURSOS EAD
Faça um curso Ead 
Gratuito
com certificação

Cursos a distância gratuitos

Cursos Ead parceria 
Setebras

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Mais informações aqui

Curso Ead: Gestão de Projetos

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Gestão de Projetos

Mais informações aqui

Curso Ead: Inovação e Criatividade

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Inovação e criatividade

Mais informações aqui
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
POSTAGENS ANTERIORES

Faça um curso teológico Gratuito

QUER FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA GRATUITAMENTE?

Faça um curso de teologia com acesso gratuito a todo o conteúdo em nosso ambiente de educação a distância. 

 

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES


 

Veja também o nosso vídeo divulgativo:

Assine este site.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 7.183 outros assinantes