SERMÃO: A GRANDE MISERICÓRDIA DE DEUS

Jonas – capitulo 4

1        Introdução

Não temos idéia do alcance da misericórdia de Deus. Ele pode alcançar até mesmo os nossos inimigos, transformando-os em instrumentos de bênçãos para nossas vidas.

2        Desenvolvimento

St. As principais lições deste texto:

2.1      “    v.1 …. desgostou-se Jonas extremamente e ficou irado.”

Jonas “…ficou irado”. Entendamos aqui os motivos da ira de Jonas. Jonas não queria que os ninivitas recebessem o perdão e a misericórdia de Deus em suas vidas. Ele não aceitava a idéia de que Deus poderia perdoar os seus inimigos e ter misericórdia deles. Jonas está demonstrado uma grande incapacidade de perdoar os que fizeram mau aos semelhantes no passado. Jonas está demonstrando aqui uma grande dificuldade de entender que a misericórdia de Deus é para todos.
Deus era bom para os israelitas, porem Deus não era bom apenas para os israelitas. Era Também bom para os ninivitas. Jonas não aceitava isto. Ele preferia ver Nínive ser destruída do que perdoada. Alguém já disse que o sol é para todos. Deus também está aberto para todos e pronto para abençoar todo aquele que invocar o seu nome.
A questão aqui é se estamos prontos para aceitar o perdão de Deus na vida de outros que no passado nos agrediram ou fizeram algo conosco? Perdoar a quem nos ofendeu não é uma tarefa fácil. Nem todos conseguem perdoar nesta circunstância. Mas é isto que Jesus ensina em Mateus 5:44: “Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem;…”.

2.2      “V.2  E orou ao SENHOR e disse: Ah! SENHOR! Não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso, me adiantei, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus clemente, e misericordioso, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e que te arrependes do mal.  3  Peço-te, pois, ó SENHOR, tira-me a vida, porque melhor me é morrer do que viver.  4  E disse o SENHOR: É razoável essa tua ira?

Neste verso, entendemos porque Jonas não queria ir pra Nínive. Ele diz ao Senhor: “foi isso que eu disse quando estava na minha terra, que o Senhor é um Deus clemente e misericordioso e iria perdoar os ninivitas, e por esse motivo eu fugi para Tarsis”.
Jonas diz a Deus que preferia fugir do que ver seus desafetos perdoados. Certa vez um irmão disse ao pastor: “pastor, eu prefiro sair da igreja do que ver esse irmão perdoado”. Há pessoas que preferem sair da igreja do que verem o perdoar e a misericórdia de Deus atuar em muitas vidas. Esse era o problema de Jonas. Preferia fugir para Tarsis do que ver os ninivitas perdoados.
Jonas tinha o que chamaremos de síndrome da intolerância. Quando um crente esta acometido por esta enfermidade ele vive vendo os ciscos nos olhos dos outros, mas não consegue ver a trave que esta em seu coração. Jonas dava ênfase aos pecados dos ninivitas, mas não enxergava os seus próprios pecados.
O coração de Jonas estava dominado pela ira, por lembranças traumáticas do passado que o faziam odiar os pecados praticados pelos ninivitas, e ao mesmo tempo o impedia de enxergar os seus próprios erros.
As vezes precisamos orar assim: senhor, me ensina a ter mais compaixão do meu irmão.
Jesus entra na casa de um fariseu. Seu nome era Simão. Ali chega uma mulher pecadora. Ela fica aos pés de Jesus, e os seus pés com suas lágrimas e enxuga-os com os seus cabelos. Aquela mulher implorava por perdão e misericórdia. Mas, naquela mesa Simão, o fariseu, a condenava, e em sua mente censurava a Cristo por permitir aquele gesto. Jesus, olhava para aquela mulher com o olhar do amor e misericórdia. Simão, olhava com o olhar de um crítico e de um juiz condenador. Então Jesus diz em Lucas 7:47,48:  “Eu afirmo a você, então, que o grande amor que ela mostrou prova que os seus muitos pecados já foram perdoados. Mas onde pouco é perdoado, pouco amor é mostrado. Então Jesus disse à mulher: —Os seus pecados estão perdoados.”

2.3      V.5 Então, Jonas saiu da cidade, e assentou-se ao oriente da mesma, e ali fez uma enramada, e repousou debaixo dela, à sombra, até ver o que aconteceria à cidade.  6  Então, fez o SENHOR Deus nascer uma planta, que subiu por cima de Jonas, para que fizesse sombra sobre a sua cabeça, a fim de o livrar do seu desconforto. Jonas, pois, se alegrou em extremo por causa da planta.  7  Mas Deus, no dia seguinte, ao subir da alva, enviou um verme, o qual feriu a planta, e esta se secou.  8  Em nascendo o sol, Deus mandou um vento calmoso oriental; o sol bateu na cabeça de Jonas, de maneira que desfalecia, pelo que pediu para si a morte, dizendo: Melhor me é morrer do que viver!

Jonas passa 3 dias em Ninive falando de salvação, sem aprender que mensagem de salvação deve ser anunciada com amor e compaixão. Pois, o amor é a base da misericórdia de Deus. É o amor que faz Deus cancelar uma sentença de destruição para uma cidade. Após 3 dias Jonas o verso 5 diz que Jonas sai daquela cidade ainda sem aprender a ama-la, e vai para o lado oriental de Ninive e procura um lugar confortável para ver o que Deus iria fazer com a cidade.
Deus faz nascer no lugar onde Jonas estava uma planta(v.6), que cresce e faz sombra sobre sua cabeça. Jonas fica confortável debaixo daquela sombra. No outro dia Deus envia um verme(v.7), que destrói toda a planta que produzia a confortável sombra para o profeta e mais uma vez o profeta fica irado.
Jonas fica irado com Deus por duas vezes. Primeiro, quando Deus lhe diz que não ira mais destruir Ninive. Ele fica indignado. Segundo. Quando Deus destrói uma planta que lhe dava sombra(v.8). Jonas era capaz de ter pena de uma planta que foi destruída por Deus, e era incapaz de ter esse sentimento por uma cidade inteira que poderia desaparecer pela justiça de Deus.
Jonas era mais apegado a coisas do que pessoas. Tinha compaixão de uma planta, mas tinha de pessoas. Tem muita gente assim, que tem pena do carro que arranha, da casa, de um bem importante que perde, mas não tem qualquer misericórdia do aflito, do perdido, e  da alma que esta sendo destruída pelo pecado e levada pelo inferno.
O que é mais importante para nós? Coisas ou pessoas?

2.4      “v9  Então, perguntou Deus a Jonas: É razoável essa tua ira por causa da planta? Ele respondeu: É razoável a minha ira até à morte.  10  Tornou o SENHOR: Tens compaixão da planta que te não custou trabalho, a qual não fizeste crescer, que numa noite nasceu e numa noite pereceu;  11  e não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que há mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem discernir entre a mão direita e a mão esquerda, e também muitos animais?”

Deus confronta os sentimentos de Jonas, perguntando: Será que tua raiva é justa? (v.9) Jonas ficou irado e sensibilizado porque Deus destruiu a sua planta, mas não foi sensível a destruição de Nínive.
Deus censura o profeta (v.10), questionando porque ele tinha pena de uma planta que não tinha lhe custado nada, e não tinha pena de uma cidade que lhe custou 3 longos dias de trabalho.
Deus então começa a mostrar ao profeta que Nínive era importante e valiosa para Deus, e lhe mostra que a misericórdia divina por Ninive se baseava no fato de que aquelas 120 mil almas, custavam muito para Deus. Deus havia trabalhado muito por aquela cidade, e não estava interessado em perder vidas para o inferno.
Deus esta ensinando ao profeta, que o Senhor havia trabalhado no coração até mesmo dos inimigos do profeta é que a grande misericórdia de Deus tinha o poder alcança-los também. Graças a Deus porque a misericórdia do Senhor tem o poder de alcançar até  mesmo os nossos inimigos.

compartilhe esta mensagem:

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest
Print
Email
POSTAGENS ANTERIORES

Faça um curso teológico Gratuito

QUER FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA GRATUITAMENTE?

Faça um curso de teologia com acesso gratuito a todo o conteúdo em nosso ambiente de educação a distância. 

 

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES


 

Veja também o nosso vídeo divulgativo:

Cursos a distância gratuitos

Assine este site.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 7.168 outros assinantes