AULA 04 – OS 7 SELOS DO APOCALIPSE

MINISTRADO PELO PR JOSIAS MOURA NO CULTO DE DOUTRINA IGRJA BETEL  – CURSO DO LIVRO DE APOCALIPSE.

ACESSE ESTE LINK PARA VER AS OUTRAS AULASAPOSTILAS AULAS DO APOCALIPSE DO PR JOSIAS MOURA

1.  Introdução

Os juízos que vamos estudar, seguem uma ordem cronológica, ou seja, acontecem um após o outro. Veremos também, cenas acontecendo ora no céu, ora na terra; as vezes veremos cenas que começam aqui na terra e terminam lá no céu.

Os cap.6 a 19, retratam um período de juízo, o período da Tribulação.

Veremos três séries de juízos: os juízos dos sete selos, em seguida os juízos das sete trombetas e por último os juízos das sete taças.

Juntamente com a descrição dos juízos, o Apocalipse nos fornece outras informações para melhor entendermos o que está acontecendo durante esse período, informações complementares tanto na terra como no céu. Os juízos estão descritos em ordem cronológica, porém algumas informações auxiliares, que cercam os juízos, nem sempre estão na ordem cronológica de acontecimentos. Os juízos da Tribulação, são também chamados de “juízos de endurecimento”, pois lembram as dez pragas do Egito, a quais manifestaram o endurecimento do coração de Faraó. Veremos no Apocalipse, que ao invés dos homens se arrependerem, a cada juízo, mais endurecem seu coração.

Os juízos revelam o que está no coração do homem. Veremos que coisa impressionante!, o mundo, as pessoas, reconhecendo que os juízos são de Deus, porém endurecem cada vez mais seus corações. É horrível esse endurecimento de corações nos incrédulos descrito no Apocalipse durante os juízos de Deus.

2.  O primeiro selo

  • V.1 e 2;E vi quando o Cordeiro abriu um dos sete selos, e ouvi um dos quatro seres viventes dizer numa voz como de trovão: Vem! Olhei, e eis um cavalo branco; e o que estava montado nele tinha um arco; e foi-lhe dada uma coroa, e saiu vencendo, e para vencer”

“Vem!”; no original grego está escrito: vai!, ou seja, é o anjo liberando a saída do juízo em questão. Vai!; é Deus liberando, autorizando o juízo.

“..;e eis um cavalo branco; e o que estava montado nele…”; quem é esse cavaleiro que aparece, quem é esse montado no cavalo branco? Vamos dar uma “cavada” na Palavra de Deus, para vermos claramente que esse é o anticristo. Comparando o aparecimento desse cavaleiro, vindo com um arco e uma coroa, vindo para vencer; comparando-o ao o cavaleiro de  Apocalipse 19:11~16, o que vemos? A única coisa em comum é o cavalo branco.

No cap.19, descrevendo  Jesus, diz: “Fiel e Verdadeiro“; aquele primeiro é o falso!

O cavaleiro de Þ Apocalipse 6:2, com um arco, para ele foi lhe dada uma coroa. Esta palavra coroa aqui, no grego, é: stephanos. Quando um atleta ganha uma coroa em jogos, a palavra é stephanos; coroa de competidor, coroa de atleta. Porém, a coroa de Jesus, descrita no cap.19, é: diadema, traduzida como diadema ou coroa; no grego significando coroa de rei. A coroa recebida pelo Anticristo, simboliza o seu governo, e o arco significa que ele vai guerrear contra seus inimigos para estabelecer o seu poderio.

Também vemos que para o cavaleiro do cap.6, foi lhe dado vencer, ou seja, ao anticristo foi-lhe permitido que vencesse. Já para Jesus, ninguém lhe deu a vencer, Ele é vencedor, Ele venceu.

Esse 1o cavaleiro, inicia a Tribulação. Atrás dele vem o cavalo vermelho de guerra, o cavalo preto de fome, o cavalo amarelo da morte. Este primeiro cavaleiro, é o anticristo. É preciso tomar cuidado com as interpretações que muitos dão sobre este 1o cavaleiro, pois trazem muita confusão.

Porque o anticristo é descrito vindo em um cavalo branco? Para imitar Jesus, obviamente! Como já dissemos, o Diabo não aparece dizendo: muito prazer, sou Satanás! Ele vem no cavalo branco disfarçado, para imitar; ele vem trazendo “paz”! Devemos parar de achar que o mundo vai melhorar, não vai não, pelo contrário, vai piorar. Há ensinamentos que dizem que Jesus não vem para arrebatar a Igreja, enquanto não houver paz no mundo. O mundo, como forma de governo, tende a piorar e muito, caso contrário não iria anelar por alguém, não iria necessitar que alguém trouxesse paz. Quando o anticristo aparecer, o mundo vai estar num caos total, então ele trará a solução e todos vão falar: ah, que maravilha!

O anticristo vem num cavalo branco, porque vai fazer um pacto. O início da Tribulação é marcado por um pacto, uma aliança de paz.

Þ Daniel 9:26~27; “príncipe que há de vir … fará um pacto firme com muitos por uma semana…”

O mundo inteiro acreditará que dessa vez será “pra valer”. Sabemos que toda tentativa de paz no oriente médio acaba em rompimento, porém dessa vez será um pacto firme. Quando estudamos as setenta semanas de Daniel, vimos que uma semana equivale a sete anos; são os sete anos do programa de Deus para Israel, é o período da Tribulação.

3.  O segundo selo

  • V.3 e 4; “Quando ele abriu o segundo selo, ouvi o segundo ser vivente dizer: Vem! E saiu outro cavalo, um cavalo vermelho; e ao que estava montado nele foi dado que tirasse a paz da terra, de modo que os homens se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada”

Saiu outro cavalo, um cavalo vermelho. A paz da terra é retirada, provando que a paz que o anticristo trouxer será falsa. A cor vermelha do cavalo, significa derramamento de sangue.

A guerra que segue aos anos iniciais de paz, quebra a aliança que há entre o anticristo e Israel. E o anticristo passa a revelar a partir daqui seus verdadeiros ideais e propósitos.

O anticristo pode enganar com seu cavalo branco, porém a verdadeira paz somente um pode trazer, aquele que é o “Príncipe da paz” (Þ Isaías 6:9), o outro só pode trazer uma paz fictícia.

4.  O terceiro selo

  • V.5 e 6; “Quando abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizer: Vem! E olhei, e eis um cavalo preto; e o que estava montado nele tinha uma balança na mão. E ouvi como que uma voz no meio dos quatro seres viventes, que dizia: Um queniz de trigo por um denário, e três quenizes de cevada por um denário; e não danifiques o azeite e o vinho”

Cavalo preto representa a fome.

Em lamentações 4:4-9 e 5:9-10, temos profecias que retratam grandes períodos de fome.

A balança indica que tudo será pesado e medido. Um queniz é igual a medida de um litro. Um denário é igual ao salário de um dia de trabalho naquele tempo. Com o salário de um dia, no tempo desse juízo, poderá se comprar uma medida de trigo e três medidas de cevada. No tempo de Jesus, conforme alguns historiadores, com um denário se comprava 8 medidas de flor de farinha (trigo) e 24 medidas de cevada, 8 vezes mais. Portanto, o 3o selo indica a escassez de comida.

Porém, haverá o azeite e o vinho; “não danifiques o azeite e o vinho”. Mas, quem mata a fome com azeite e vinho?

5.  O quarto selo

  • V.7 e 8; “Quando abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizer: Vem! E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava montado nele chamava-se Morte; e o hades seguia com ele; e foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra, para matar com a espada, e com a fome, e com a peste, e com as feras da terra”

Cavalo amarelo;  no original grego quer dizer: verde-amarelado pálido”, ou seja, cor de cadáver! Somente este cavaleiro tem nome, e qual é esse nome? Morte. Portanto, é cor de morto mesmo.

O cavaleiro (Morte), vem e o hades o segue; “e foi-lhes (notem o plural) dada autoridade sobre a quarta parte da Terra”. A morte reivindica a parte física do homem e o hades reivindica a parte imaterial, isto é, a alma e o espírito do homem. Uma quarta parte das pessoas da Terra será morta nesse juízo, com pragas, doenças, fome.

Com a abertura deste selo, ¼ da população da Terra é destruída. Vejam, hoje a população da Terra é de aproximadamente 6 bilhões de pessoas; imaginem, 1,5 bilhão de pessoas mortas!

6.  O quinto selo

  • V.9-11: “Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que deram. E clamaram com grande voz, dizendo: Até quando, ó Soberano, santo e verdadeiro, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? E foram dadas a cada um deles compridas vestes brancas e foi-lhes dito que repousassem ainda por um pouco de tempo, até que se completasse o número de seus conservos e seus irmãos, que haviam de ser mortos, como também eles o foram”

O primeiro grupo de mártires da tribulação aparece no céu. Aqui, no 5º selo, estamos vendo a alma dos salvos e onde elas estão?  “Vi debaixo do altar as almas dos que tinham sido mortos por causa da Palavra de Deus e por causa do testemunho que deram”.

Quando está acontecendo isso? Esses são os 1º santos que aceitaram Jesus no período da Tribulação, testemunharam e foram mortos pelo anti-cristo (porque aceitaram a Jesus).

Uma questão interessante é: Se Haverá possibilidade de salvação durante a grande tribulação? Sim. As pessoas que se arrependerem de seus pecados após e arrebatamento e crerem em Jesus poderão ser salvas.

O juízo do 5º selo evidência a permissão de Deus para que, mesmo aqueles que são salvos, sejam mortos pelo anticristo; foi-lhe dado vencer!

As vestiduras brancas (V.11), confirmam que são salvos. Por estarem de baixo do altar, também é uma confirmação de que são salvos, porque ninguém vai para o céu sem estar lavado pelo sangue de Jesus, amém.

7.  O sexto selo

  • V.12 à 17:E vi quando abriu o sexto selo, e houve um grande terremoto; e o sol tornou-se negro como saco de cilício, e a lua toda tornou-se como sangue; e as estrelas do céu caíram sobre a terra, como quando a figueira, sacudida por um vento forte, deixa cair os seus figos verdes. E o céu recolheu-se como um livro que se enrola; e todos os montes e ilhas foram removidos dos seus lugares. E os reis da terra, e os grandes, e os chefes militares, e os ricos, e os poderosos, e todo escravo, e todo livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas; e diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-nos da face daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do Cordeiro; porque é vindo o grande dia da ira deles; e quem poderá subsistir?

O 6º selo; a cena volta para a Terra. Do 1º ao 4º selos, vimos juízos na Terra; o 5º selo descreveu o que está acontecendo no céu; agora volta novamente para a Terra.

Diante de tanta catástrofe, diante de um abalo universal, é de se espantar como os incrédulos ainda resistem a Deus. Com tanta catástrofe, terremoto, ilhas sendo movidas de seus lugares, alteração na estratosfera, e céu alterando; o sol, lua, estrelas sendo abalados, um abalo universal! Nessa hora de abalo, o céu se abre, com certeza algo muito grave acontecerá, e os incrédulos dessa Terra não vão ter a menor dúvida de que tudo está sendo provocado pelo juízo e pela ira de Deus e pela ira do Cordeiro.

Porém, é “lamentável”, após tantas catástrofes naturais que o povo da Terra presenciou, reconhecendo que era a hora do juízo e da ira de Deus, mesmo assim, o que o povo da Terra pediu? O que acreditamos que alguém pediria nessa hora? Perdão Senhor, eu quero mudar de “lado”! Não, a incredulidade e a rebeldia no coração natural do homem são tão grandes, que eles preferem a morte a se arrependerem; eles não querem passar pelo juízo, mas também não querem o Deus do juízo. Eles falam: caiam sobre nós montes e rochedos! Só que se morressem, se os rochedos obedecessem, eles estariam mudando de um espaço ruím para outro, apenas isso, porém aqui ainda poderia haver esperança, após a morte física não. A carreira do ímpio, daquele que não recebeu o Senhor Jesus como Salvador é: Morte física, hades, trono branco e lago do fogo; não há outro caminho, é trágico!

Eles estarão mudando de um estado de morte espiritual, para o estado de morte eterna. A dureza do coração do homem e rejeição a Deus, é uma coisa tremenda. Hoje, você fala de Jesus àlguma pessoa, e nada, continua na mesma. Mas na Tribulação, preferem a morte física! Reconhecem, sabem que é o dia da ira, sabem que aquele é o Cordeiro, que aquele é Deus, e querem a morte física! É muito duro isso!

Uma grande catástrofe acontecerá, um abalo universal, os homens se assustarão nem mesmo assim querem Deus, é a visão do dia da ira.

8.  Capitulo7. A interrupção dos juízos dos selos: ocorre logo após a abertura do 6º selo. Portanto, há uma pausa entre o 6º e o 7º sétimo selo.

Vimos no cap.6, até o juízo do 6º selo e agora vamos entrar na 1ª interrupção na sequência dos juízos.

Essa 1ª interrupção dos juízos, no cap.7, vai descrever algumas ações que estão acontecendo em meio a tantas catástrofes que vimos no cap.6.

A sequência da abertura dos selos é interrompida, para lembrar que a graça salvadora e a misericórdia de Deus continuam caindo sobre a Terra, mesmo num período de juízo.

Eu creio que o cap.7,  além de outros motivos, é também para responder a essa pergunta. Quem se salvará diante de tantas catástrofes que ocorrerão durante a grande tribulação? Quem ficará vivo? Então a sequência de juízos é interrompida para a resposta: haverá muita gente salva nesse período; e veremos como haverá mesmo.

8.1   O selo dos servos de Deus na terra – Os 144 mil selados do apocalipse (7:1-8)

  • V.1-3: “Depois disto vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, retendo os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem contra árvore alguma. E vi outro anjo subir do lado do sol nascente, tendo o selo do Deus vivo; e clamou com grande voz aos quatro anjos, a quem fora dado que danificassem a terra e o mar, dizendo: Não danifiqueis a terra, nem o mar, nem as árvores, até que selemos na sua fronte os servos do nosso Deus”

V1; “Depois disto vi quatro anjos…”. Como! Os anjos tomam conta dos ventos. Como no V.T, os anjos tem grande atividade neste período; por 67 vezes eles são citados no Apocalipse.

V.2-3; os juízos de Deus foram suspensos para que um grupo de pessoas fossem selados, “os servos do nosso Deus”. O selo significa a garantia de que são propriedade de Deus, que estão separados e fisicamente guardados para executarem o serviço que Deus lhes designou; com toda certeza será a pregação do “evangelho do Reino” (Þ Mateus 24:14).

  • V.4~8; “E ouvi o número dos que foram assinalados com o selo, cento e quarenta e quatro mil de todas as tribos dos filhos de Israel: da tribo de Judá havia doze mil assinalados; da tribo de Rúben, doze mil; da tribo de Gade, doze mil; da tribo de Aser, doze mil; da tribo de Naftali, doze mil; da tribo de Manassés, doze mil; da tribo de Simeão, doze mil; da tribo de Levi, doze mil; da tribo de Issacar, doze mil; da tribo de Zabulom, doze mil; da tribo de José, doze mil; da tribo de Benjamim, doze mil assinalados.

Enquanto os quatro anjos retiam os quatro ventos da Terra, outro anjo saiu, com o selo do Deus vivo, selando a fronte dos servos do nosso Deus; foram selados 144.000 pessoas.

8.2   Quem os 144.000 selados?

Satanás usa esse capítulo para confundir. Segmentos religiosos baseiam-se neste texto para criarem suas falsas doutrinas; sempre a velha tática de Satanás, pegar um texto isolado e formar uma doutrina particular, que acaba enganando a muitos. Quando não temos conhecimento da Palavra de Deus, a força da apostasia da fé, do afastamento de Deus, domina as pessoas e elas são enganadas.

Porém, a despeito de segmentos religiosos usarem erradamente esse texto, o erro mais sutil, usando esse capítulo, é crer que as 12.000 pessoas de cada tribo, representam a Igreja.

Porém, o texto não deixa dúvidas de que os 144.000 são ISRAELITAS; V.4 “de todas as tribos dos filhos de Israel”. Notem os detalhes para não haver dúvidas, foram assinalados com o selo, 12000 de doze tribos de Israel, totalizando os 144.000.

É bom ver também apocalipse 14:1-4, onde temos mais algumas importantes informações sobre os 144.000 mil selados.

Nunca se esqueçam, na Tribulação, nesse período que estamos estudando, a Igreja não faz parte, foi arrebatada antes do seu início. Terminou no arrebatamento o perído da Igreja na Terra e Deus volta a tratar com Israel, aqueles 7 anos que faltam do programa das 70 semanas revelado a Daniel. Os 144.000 são homens, capitulo 14:4: “estes são os que não se contaminaram com mulheres; porque são virgens”.Somente homens, como podem representar a Igreja?

O tempo do reinado do anticristo será um tempo de total perversão, cuja imoralidade ultrapassará em muito os dias de hoje. Por isso o contraste dos 144.000, homens castos, virgens, dentro de uma geração corrupta, jamais vista.

Outro motivo para serem somente homens esses 144.000,  é que quando a pessoa é casada, em tempo de perseguição, de tribulação, a situação piora e muito. Paulo já falou disso durante a perseguição no início da Igreja.

Então, são estes os motivos para os 144.000 anunciadores do evangelho do reino serem apenas homens: fazer contraste com a perversão moral reinante no período e para não haver preocupação com mais nada, a não ser com a pregação do evangelho do reino; o tempo é curto, apenas sete anos.

Os 144.000 mil judeus selados, serão usados por Deus no período da Tribulação, para levarem a Palavra da salvação às demais pessoas da Terra; serão os portadores do evangelho do Reino. Nada poderá fazer mal a esses 144.000 Israelitas, enquanto eles não terminarem o que Deus determinou que fizessem; nada, nem o anticristo, nem Satanás, ninguém pode tocar neles, ninguém pode matá-los. Eles têm uma missão e estarão selados por Deus para tal. O fruto de sua pregação será uma multidão, que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas.

8.3   Uma observação importante: surgem nesta lista duas tribos que não aparecem nas listas anteriores: A tribo de Levi e José.

Analizando a lista das doze tribos, vemos a ausência de duas tribos que normalmente seriam listadas (Dã e Efraim) e também vemos a presença de duas tribos que normalmente não estariam na lista (Levi e José).

A Tribo de Levi está incluída na lista, talvez pela natureza sacerdotal e profética desta tarefa. No V.T., a tribo de Levi normalmente não aparecia nas listas das doze tribos, pois a lista, na maioria das vezes, tratava da herança. Levi não tinha herança, era sustentada pelas demais (12) tribos, onde José tinha porção dobrada (Manassés e Efraim). Levi não tinha herança, porque era tribo sacerdotal. Nesta lista em Apocalipse, a ênfase não é herança e sim ministério sacerdotal; talvez por isso a tribo Levi está citada.

José também, normalmente não aparecia nas listas do V.T., devido a ser representada por Manassés e Efraim; José recebeu porção dobrada. Nesta lista, porém, o nome de Efraim é substituído pelo próprio nome de José. Provavelmente Efraim é omitido, devido a rebeldia dessa tribo, que por muitas vezes levou a nação toda a pecar.

8.4   A visão da multidão dos mártires da grande tribulação que se convertem a Jesus, por causa do testemunho dos 144.000 mil judeus selados (7:9-15)

  • V.9-15: “Depois destas coisas olhei, e eis uma grande multidão, que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, que estavam em pé diante do trono e em presença do Cordeiro, trajando compridas vestes brancas, e com palmas nas mãos; e clamavam com grande voz: Salvação ao nosso Deus, que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro. E todos os anjos estavam em pé ao redor do trono e dos anciãos e dos quatro seres viventes, e prostraram-se diante do trono sobre seus rostos, e adoraram a Deus, dizendo: Amém. Louvor, e glória, e sabedoria, e ações de graças, e honra, e poder, e força ao nosso Deus, pelos séculos dos séculos. Amém. E um dos anciãos me perguntou: Estes que trajam as compridas vestes brancas, quem são eles e donde vieram? Respondi-lhe: Meu Senhor, tu sabes. Disse-me ele: Estes são os que vêm da grande tribulação, e lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro. Por isso estão diante do trono de Deus, e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que está assentado sobre o trono estenderá o seu tabernáculo sobre eles.”

Vemos aqui outro grupo de pessoas, completamente diferente dos 144.000 que foram selados para o serviço, para o ministério da pregação do evangelho do reino: “eis uma grande multidão, que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas…”.

A maneira como o cap.7 está descrito, mostra os 144.000 sendo selados para o ministério e em seguida vemos o resultado, o fruto do seu ministério; uma grande multidão, que ninguém podia enumerar.  Portanto, o grupo visto nessa parte do capítulo, é completamente diferente dos 144.000; este grupo é o resultado da pregação daqueles. Desde o início, Israel foi criada para ser canal de benção para as demais nações. O fato agora, destes 144.000 israelitas serem usados dessa forma, combina totalmente com o propósito de Deus para essa nação e para as demais.

Durante o período de sete anos de grande tribulação haverá o maior número de conversões que a Terra já viu; em sete anos, uma multidão que ninguém pode enumerar, será salva. Este capítulo também mostra como os cristãos serão perseguidos e serão mortos pelo anticristo na Tribulação; uma multidão que ninguém pode enumerar; multidões!

Por isso, entendemos que esta multidão é composta de todos aqueles que foram mortos durante a grande tribulação após aceitarem a pregação do evangelho por meio dos 144.000 mil selados.

9.  A abertura do 7º sétimo selo, que contém as 7 trombetas, que são o mais duro juízo de Deus.

ð Texto base: Apocalipse 8, 9 e 11:15-19

Estudamos a série dos primeiros juízos, os seis selos e veremos agora, o sétimo selo.

O 7º selo tem uma característica especial. Ele contem 7 trombetas. Estas trombetas são os mais severos juízos de Deus.

  • V.1; “Quando abriu o sétimo selo, fez-se silêncio no céu, quase por meia hora”.

Não se sabe porque, esse silêncio no céu. Vocês já imaginaram? Vimos toda a multidão cantando no céu, louvando, glorificando a Deus, ao Cordeiro; todos os anjos, a Igreja, todo aquele barulho e de repente faz-se meia hora de silêncio total no céu! Deve ser algo muito solene e importante que está para acontecer; um contraste muito grande, parece que é para chamar a atenção para algo muito sério.

Ao longo da Bíblia, temos um paralelo quanto a fazer-se silêncio antes de algo acontecer; aconteceu antes da queda das muralhas de Jericó, com Josué e o povo de Israel. à Josué 6:10~16; a queda de Jericó. O povo de Israel marchou em silêncio, até ouvir a ordem de gritar. A ordem veio no sétimo dia, após terem rodeado a cidade por seis dias em silêncio. Então, os sacerdotes tocaram as trombetas, o povo gritou e as muralhas caíram. Na Tribulação, depois desse silêncio do V.1, quando as sete trombetas tocarem (na sétima estão as sente taças), todo o sistema do anticristo ruirá, como as muralhas de Jericó.

  • V.2-6; “2 E vi os sete anjos que estavam em pé diante de Deus, e lhes foram dadas sete trombetas. 3 Veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro; e foi-lhe dado muito incenso, para que o oferecesse com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro que está diante do trono. 4 E da mão do anjo subiu diante de Deus a fumaça do incenso com as orações dos santos. 5 Depois o anjo tomou o incensário, encheu-o do fogo do altar e o lançou sobre a terra; e houve trovões, vozes, relâmpagos e terremoto. 6 Então os sete anjos que tinham as sete trombetas prepararam-se para tocar”

Vemos novamente aqui, a importância da oração dos santos. Neste contexto, são os santos da Tribulação que oram a Deus para que venham os juízos, sobre aqueles que os perseguem e matam.

Tudo que está acontecendo e ainda acontecerá, nesse período de Tribulação, é resposta de oração. Oração por juízo? Lembram no cap.5, aqueles primeiros mártires, que já estavam lá no céu, debaixo do altar, o que eles pediam? Até quando Senhor não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam a Terra? Então, Jesus respondeu: até que se complete o número de seus conservos e seus irmãos, que morrerão como vocês. Portanto, os salvos na Tribulação, quando orarem, orarão por juízo, porque sabem que é tempo de juízo.

Quanto a nós hoje, no período da Igreja, oramos por juízo? Não, oramos sim pela misericórdia. Oramos hoje, para que a graça caia e o juízo não venha, enquanto nossa família inteira não for alcançada pela salvação; nossos amigos, nossos governadores, nosso país, etc. É muito sério, muito importante, sabermos distinguir o que orar; estamos na época da graça do Senhor, precisamos orar pela graça para que a salvação venha ao maior número de pessoas, mesmo àquelas mais perdidas!

Não ore a Deus por juízo sobre alguém hoje, você poderá estar obstruindo o caminho da salvação para esse alguém, seja quem for.

Na Tribulação não, é diferente, é tempo de juízo. Deus ouve as orações sim, diz para esperar, porém é respondendo a essas orações que os juízos continuam.

  • V.3; “veio outro anjo… e foi-lhe dado muito incenso, para que oferecesse com as orações de todos os santos…”

Que incenso é esse? É o doce aroma da vida e da obra de Jesus Cristo na cruz, que fizeram possível esse acesso à presença de Deus, aleluia! Portanto, junto com as orações dos santos, é oferecido muito incenso, pois nossas orações não chegam no trono da graça, se não for pelo único caminho, que é o sangue de Jesus na obra do Calvário. É a cruz que faz a ponte entre a Terra e o céu, por isso, somente as orações não bastavam, é preciso o sangue de Jesus, o anjo precisou colocar muito incenso. A obra de Jesus Cristo, é a base para resposta de Deus às orações.

  • V.4 e 5; “e da mão do anjo subiu diante de Deus a fumaça do incenso com as orações dos santos. Depois o anjo tomou o incensário, encheu-o de fogo do altar e o lançou sobre a Terra; …”

Quando as orações chegam no trono de Deus, o anjo toma o incensário e enche de fogo do altar. De onde vem o fogo do altar? O altar que ficava no tabernáculo do V.T., não tinha fogo próprio. Então, o que ascendia o fogo do altar de incenso? Lembram do episódio quando dois sacerdotes trouxeram fogo estranho para ascender o incensário? Foram consumidos vivos; Þ Levítico 10:1~2. O incensário do tabernáculo, só podia ser aceso com fogo do altar de bronze (juízo), que tipificava a cruz do Calvário. O fogo com o qual o anjo ascendeu o incensário, vem da cruz do Calvário.

O anjo então, encheu o incensário do fogo do altar e o lançou sobre a Terra. Isso simboliza, está nos mostrando, que as orações chegaram a Deus e Deus as respondeu.

  • V.6; E com a resposta de Deus às orações dos santos, vêm os sinais dos juízos; “e houve trovões, vozes, relâmpagos e terremotos. Então os sete anjos que tinham as sete trombetas preparam-se para tocar”

Portanto, tudo é resposta de oração. As coisas só acontecem na Terra, como resposta de oração; é tão claro isso, acorda Igreja! Deus só age no céu, quando as orações chegam lá. Os juízos estão todos programados, estão todos profetizados, porém somente acontecem como resposta de oração. É o mesmo princípio para nós hoje, precisamos orar para que Deus lance o incensário e derrame as respostas.

10.       As 7 trombetas

Como nos selos, as primeiras quatro trombetas são de natureza diferente das três últimas:

10.1 A 1ª trombeta . 8:7

Nem podemos imaginar o feito desse juízo sobre os homens, e o dano em geral; o clima alterado, a alimentação, etc. Foi queimada a terça parte da Terra, das árvores e de toda a erva verde!

10.2   A 2ª trombeta: 8:8-9

Um grande monte ardendo em fogo! Muitas pessoas tentam espiritualizar todas essas passagens e interpretam de forma errada. Assim como as dez pragas no Egito, foram literais, o Nilo se tornou em sangue, etc., não temos autoridade para dizer que aqui em Apocalipse, esses fenômenos não são literais.

O que seria esse “monte (montanha) ardendo em fogo”? Pode ser um meteorito caindo no mar e fazendo todo esse estrago, mas temos que ter muito cuidado.

Muitas das profecias da primeira vinda de Jesus, foram cumpridas e entendidas nas últimas 24 horas de Jesus na Terra. Por isso dizemos que pode ser um meteorito, aqui. Porém, o resultado é muito claro e muito específico: e morreu a terça parte da criação que tinha vida no mar, (para ficar bem específico); e foi destruída a terça parte dos navios. Portanto afetou o que estava dentro do mar e o que estava sobre o mar.

10.3  A 3ª trombeta: 8: 10,11

Algo também vindo do alto, que atinge a terça parte da água doce da Terra. A água se torna venenosa e muitos homens morrem.

Absinto losna ou alosna; é uma substância forte e amarga, que simboliza amargura, pesar, calamidade.

10.4  A 4ª trombeta:  8:12

O sol, a lua e as estrelas, são afetados na sua terça parte; Þ Lucas 21:25

Este juízo de Deus nos mostra que Ele tem controle absoluto sobre os astros celestiais. É Deus quem os sustenta com o seu poder. É e Deus quem permite que eles afetem os homens no tempo de cumprimento das profecias futuras.

10.5  João escuta que as próximas trombetas serão juízos mais duros ainda.

– V.13; “E olhei, e ouvi uma águia que, voando pelo meio do céu, dizia com grande voz: Ai, ai, ai dos que habitam sobre a terra! por causa dos outros toques de trombeta dos três anjos que ainda vão tocar”

Apesar dos juízos destas quatro trombetas serem tremendos, vem um aviso de que as três últimas trombetas serão ainda piores; são chamadas de “ais”. Ai, ai, ai dos que habitam sobre a Terra!

Na próxima quinta, estudaremos as próximas trombetas e os respectivos juízos que elas estabelecem. Não falte a este estudo.

Pr. Josias Moura de Menezes

compartilhe esta mensagem:

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest
Print
Email
POSTAGENS ANTERIORES

Faça um curso teológico Gratuito

QUER FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA GRATUITAMENTE?

Faça um curso de teologia com acesso gratuito a todo o conteúdo em nosso ambiente de educação a distância. 

 

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES


 

Veja também o nosso vídeo divulgativo:

Cursos a distância gratuitos

Assine este site.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 7.169 outros assinantes