Grupos Familiares de Crescimento e Multiplicação (GFCM)

Treinamento para implantação de grupos familiares
Por Pastor Josias Moura

1.    Introdução

A igreja apostólica se expandiu rapidamente pregando o evangelho publicamente e de casa-em-casa. “Partiam o pão de casa-em-casa…” Atos 2:46; “de casa-em-casa não cessavam de ensinar…” Atos 5:42; “publicamente e também de casa-em-casa.” -Atos 20:20. Por dois anos Paulo pregava o evangelho dentro da sua própria casa – Atos 28:30-31; a igreja na casa de Lídia (Atos 16:40); a igreja na casa de Priscila e Áqüila (Romanos 16:3-5); a igreja na casa de Filemon (Filemon 2).

O método de Grupos Familiares é bíblico. O Senhor Jesus treinou os seus discípulos, deu as orientações necessárias, e os enviou de casa-em-casa ( Lucas 9:1-6 ). Posteriormente, enviou outros 70 discípulos também de casa-em-casa ( Lucas 10:1-10 ), os quais regressaram “possuídos de alegria, dizendo: Senhor, os próprios demônios se nos submetem pelo teu nome!” – Lc 10:17. Qual o propósito do Senhor Jesus ao enviá-los? O prosseguimento da obra e a expansão do seu reino por todo o mundo.

“E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo.” – Atos 5:42

2.    O que são Grupos familiares?

São grupos que se reúnem uma vez por semana, em um determinado dia e hora acertado, com a finalidade de se estudar o texto bíblico e de promover comunhão. Em um grupo familiar é mais fácil fazermos discípulos. Jesus disse: “Ide e fazei discípulos.”

Outra definição de grupo familiar é: um grupo de pessoas salvas, devidamente integradas a uma igreja local, que se reúnem semanalmente com o fim de evangelizar pessoas não evangélicas (familiares, parentes, amigos e vizinhos).

O Grupo Familiar será formado com dois propósitos:- 1) evangelização; 2) multiplicação (isto é, uma vez alcançado crescimento, desdobrar-se-á em dois ou mais grupos com o fim de expandir a obra missionária, e gerar novos campos de trabalho para os novos líderes formados).

3.    Tamanho do grupo

Cada Grupo Familiar deverá ser composto, no mínimo, por três componentes e no máximo 15 pessoas. Não existe limite para o seu crescimento, no entanto, para melhor aproveitamento, quando o grupo alcançar o número de quinze componentes, é recomendável a  multiplicação, ou seja, é bom que este grupo seja dividido em um grupo menor para melhor aproveitamento.

É importante, que os membros do grupo familiar convidem pessoas novas para participarem das reuniões semanais. 

 

4.    Como Começar os grupos familiares

Há apenas uma maneira pela qual o sistema de grupos familiares terá êxito na igreja, se esse sistema for usado como ferramenta para evangelização. O pastor deve ser a pessoa-chave do empreendimento, pois ele exercerá a função de controle e coordenação.

Os primeiros passos para o estabelecimento de grupos familiares são muito importantes.

Primeiro, deve começar em pequena escala. Separar cerca de 10 pessoas e treiná-las para dirigentes dos grupos. Após o resultado desses grupos, envolver toda a igreja.

Selecionar os dirigentes certos, é essencial. Separar homens e mulheres que tenham a plenitude do Espírito Santo. Eis algumas qualificações que se deve procurar nos dirigentes dos grupos:

1.         Entusiasmo – os crentes novos, com freqüência, são muito bons líderes de grupo porque acabam de estabelecer um relacionamento pessoal com Cristo.

2.         Testemunho – Os crentes que têm um testemunho claro e poderoso do que Deus fez por eles são provas vivas de que o evangelho realmente funciona hoje. Tais crentes demonstram a realidade da vida de Cristo e outros são atraídos a eles.

3.         Dedicação – Geralmente é possível verificar se a pessoa é dedicada ao Senhor e à sua igreja, mediante a maneira pela qual tem demonstrado consagrar-se a preservar a unidade da vida da igreja. Os que estão prontos a criticar ou não acompanham a maioria não cumprirão com facilidade as recomendações do pastor no que se refere a grupos familiares.

4.         A plenitude do Espírito Santo – A dependência do Espírito Santo é essencial. Isso significa que o líder deve ser batizado com o Espírito Santo, com a evidência do falar em línguas. Assim, temos a segurança de uma pessoa que pode levar outros a Cristo, e que pode orar, com poder, pelas necessidades dos outros.

5.    Onde os grupos familiares podem se reunir

Em casas, escritórios, fábricas, escolas, estacionamentos, praças públicas, praças de alimentação de shoppings, restaurantes, estabelecimentos comerciais e até mesmo nas dependências da igreja. É importante que seja um local fixo, com horário previamente combinado.

O alvo é que os Grupos Familiares comecem a crescer e a multiplicar-se abundantemente para todas as direções da cidade, e alem das fronteiras. (Mt 28:19-20).

6.    Como é organizado um grupo familiar

Para funcionar, um grupo familiar precisa ter a seguinte organização:

01 Líder, 01 auxiliares do líder e 01 local para reuniões.

6.1) O líder.

É responsável pela reunião. Sua atuação é fundamental. É bom que o líder tenha maturidade. Que seja alguém que tem facilidade de ser relacionar com todo mundo. O líder tem a responsabilidade de dirigir as reuniões do grupo. Cabe ao líder ministrar os estudos ou escalar alguém para a cada ministrar os estudos do grupo familiar.

O líder é aquele que irá contribuir para que exista comunhão, amizade, integração entre os membros do grupo familiar. O líder deve sempre ligar ou entrar em contato com os membros do grupo que faltarem as reuniões.

6.2)       O auxiliar do líder.

É aquele que ajuda o líder em todas as necessidades, e pode substituÍ-lo em sua ausência. Pode ajuda-lo nos estudos, e em todas as áreas do grupo familiar.

6.3)       O local para reuniões.

Deve ser numa casa fixa, onde, semanalmente o grupo se encontrará para realizar as reuniões. É interessante que o dono da casa não se preocupe com o lanche, pois isto pode sobrecarrega-lo. Caso, o grupo familiar decida fazer um lanche, um café, ou chá, a responsabilidade desta tarefa deve ser dividida entre todos.

7.    Dia das reuniões

Todos os grupos se reunirão no mesmo dia. Em nossa igreja, esta reunião será nas quartas feiras, às 19:30hs.  Neste horário, estarão acontecendo várias reuniões simultâneas.

8.    Assuntos estudados no grupo

Os estudos debatidos nos grupos serão preparados com antecedência para os lideres, de modo que todos os lideres terão estes estudos em suas mãos. Os lideres ou a pessoa indicada por este deverá estudar o estudo a ser realizado no grupo familiar. O estudo é simples e numa linguagem prática.

9.    Como é a reunião do grupo

A reunião do grupo familiar deve ser informal. As pessoas devem estar a vontade. Todas devem falar e participar dos estudos e debates. Deixe também que a presença do Espírito Santo flua.

As partes desta reunião devem ser:

  • § Palavra de boa vinda. O líder pode perguntar como foi a semana de todos, pode fazer um momento de comunhão, por meio de uma música ou oração.
  • § Momento de louvor. Sugerimos no máximo duas músicas. Não é necessário instrumento. Se houver um use.
  • § Leitura bíblica e estudo bíblico na forma de debate. Tempo sugerido de 30 minutos.
  • § Oportunidade para pedidos de oração e pequenos testemunhos.
  • § Encerramento

10. Colocando em prática os grupos

1.         Dividir a cidade em distritos ou áreas estratégicas, conforme o número de líderes.

2.         Distribuir os crentes nos grupos familiares de maneira que ninguém fique sem um grupo para participar.

3.         As reuniões dos grupos familiares serão realizadas no mesmo dia da semana e no mesmo horário (Quarta feira 19:30h).

4.         Descobrir pessoas que tenham algum tipo de problema e tentar trazê-la para o grupo familiar, ajudando-as e levando-as a Cristo.

5.         Apoiar as pessoas que se decidirem na igreja, integrando-as no grupo familiar.

6.         Determinar alvos para os grupos. (Como por exemplo, ganhar 5 novas pessoas para Cristo no Grupo).

7.         Preencher relatório informando sobre cada reunião, em que conste: o nome de quem apresentou o programa, assistência e número de decisões.

8.         A reunião deve durar no máximo uma hora. Manter a pontualidade no horário de começar e de terminar a reunião.

9.         Somente os líderes estarão autorizados ao ensino, ou pregação. Para conceder oportunidade a pregadores de fora, só com o prévio consentimento do pastor.

10.      Embora o líder é quem ministra a palavra esboçada, os outros podem ter oportunidades para ministrar aos demais conforme o Espírito Santo lhe conceda.

11.      Se for oferecido algo para comer, que seja limitado a um simples café ou chá com biscoito e que seja oferecido no final da reunião. Porém, não é bom sobrecarregar ninguém com lanches.

12.      Quando o grupo crescer e ultrapassar 15 pessoas, ele será subdividido. Daí a importância de se formar/descobrir novos líderes dentro dos grupos.

 

Pr Josias Moura de Menezes

João Pessoa, 2008

compartilhe esta mensagem:

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest
Print
Email
POSTAGENS ANTERIORES

Faça um curso teológico Gratuito

QUER FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA GRATUITAMENTE?

Faça um curso de teologia com acesso gratuito a todo o conteúdo em nosso ambiente de educação a distância. 

 

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES


 

Veja também o nosso vídeo divulgativo:

Cursos a distância gratuitos

Assine este site.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 7.169 outros assinantes