Pastor Josias Moura

Estudos Bíblicos, sermões, cursos ead, Teologia, Bibliotecas digitais, apostilas

06.03.2016. Estudo EBD: Expondo o livro de Gênesis – Capitulo 28-29

 Expondo o livro de Gênesis – Capitulo 28-29

I.             A Aventura (28:1-9)

Com correção, podemos dizer que o resto de Gênesis apresenta a vida de Jacó, mesmo suas provações com Labão (28—31), com Esaú (32—33) e com seus filhos (34ss). Na verda­de, a história de José faz parte da história de Jacó.

O verdadeiro motivo por que Rebeca engendrou a partida de Jacó foi para evitar a ira de Esaú (27:41- 46), mas sua desculpa para isso foi que queria que Jacó encontrasse uma esposa piedosa (veja 24:1-9). As esposas mundanas de Esaú cau­savam problemas na casa, como sempre acontece quando o povo de Deus casa em desacordo com a vontade de Deus. Na verdade, Re­beca planejava fazer com que Jacó voltasse quando fosse o momento certo (27:45), mas esse plano não deu certo. Jacó nunca mais viu sua mãe de novo. Mais uma vez, “fé é viver sem esquemas”. Todos preci­samos prestar atenção a essa adver­tência de Tiago 4:13-17.

É maravilhoso quando o filho pode deixar a casa com a bênção do pai! Contudo, Jacó não podia contar com a fé de seu pai. Ele pre­cisava encontrar Deus e tomar algu­mas decisões por si mesmo, lnfelizmente, Jacó pagou caro por sua in­credulidade e rebelião e levou mais de 20 anos para chegar ao ponto de se entregar verdadeiramente! Os versículos 6-9 ilustram o conflito da carne e do Espírito. Esaú (a carne) desobedeceu deliberadamente ao Senhor e trouxe sofrimentos maiores para a família.

Observe que Jacó não era um jovem quando iniciou essa aventura. Ele tinha, no mínimo, 77 anos. Gênesis 47:9 afirma que Jacó tinha 130 anos quando foi para o Egito. José tinha 1 7 anos quando foi vendido no Egito, e 30 anos quan­do foi apresentado ao faraó (41:46). Assim, some os 13 anos em que José foi servo aos 7 anos de abundância e aos 2 anos de escassez e verá que José tinha cerca de 39 anos quando Jacó foi para o Egito. Isso significa que Jacó tinha 91 anos quando José nasceu, e Gênesis 30:25 relata que Jacó já cumprira os 14 anos de ser­viço por suas esposas quando José nasceu. Isso indica que Jacó tinha cerca de 77 anos quando começou a caminhar “por si mesmo”.

 

II.            A visão (28:10-12)

Jacó viajou cerca de 11 quilômetros de Berseba a Betel, jornada de três dias. Naquela noite, ele recostou-se em “uma das pedras” para dormir, e Deus deu-lhe uma visão de uma escada que ia do céu à terra. No Novo Testamento, a passagem de João 1:43-51 é a explicação desse versículo. A escada simboliza Jesus Cristo. Jacó é o retrato perfeito da alma perdida — na escuridão, em fuga para proteger sua vida, longe da casa do pai, oprimido pelo pecado e desconhecedor do fato de que Deus está próximo dele e quer salvá-lo.

Aescada retrata Cristo como o úni­co caminho da terra para o céu. Ele abre o céu para nós e traz bênçãos celestiais para nossa vida. E apenas ele pode levar-nos para o céu. Jacó pensava que estava solitário em um deserto e deu-se conta de que estava no próprio portão do céu! Ainda em relação a João 1:43-51, observamos que Jacó era um israelita cheio de fraude (logro), enquanto Natanael era um israelita sem fraude.

Essa é a primeira de pelo menos sete revelações de Deus para Jacó (veja 31:3,11-13; 32:1-2; 32:24-30; 35:1,9-13; 46:1-4). Os anjos na es­cada são uma indicação do cuidado e da atenção de Deus. Eles apare­cem de novo a fim de proteger Jacó, quando ele está para enfrentar Esaú (32:1-2).

 

III.           A voz (28:13-15)

As visões, quando separadas da Pala­vra de Deus, podem ser enganosas; assim, Deus falou a fim de inspirar-lhe confiança. Anjos ou visões não salvam a pessoa, mas a fé na Palavra de Deus. Observe a promessa que Deus fez a Jacó:

A.           A terra (v. 13)

Primeiro, ele fez essa promessa a Abraão (13:14ss) e reafirmou-a a Jacó (26:1-5). A terra santa pertence aos judeus, embora eles não possuam toda ela. Um dia, Israel possuirá “as suas herdades” (Ob 17).

B.            A semente se multiplicaria (v: 14)

Isso assegurou a Jacó que Deus lhe daria uma esposa; de outra forma, ele não poderia ter descendentes (veja também 13:16 e 22:1 7). Hoje, há judeus em todos os pontos da terra.

C.            A presença pessoal de Deus (v. 15)

Esse versículo sugere que Jacó perambularia, mas Deus prometeu es­tar com ele. Por quê? Porque Deus tinha um plano para a vida de Jacó e, assim, cuidaria para que seu pla­no se cumprisse (Fp 1:6; Rm 8:28- 29). Embora Jacó, nos difíceis anos que tinha à frente, tivesse de colher as consequências de seus pecados, Deus ainda estava com ele para protegê-Io e abençoá-lo.

 

IV.          O voto (28:16-22)

Jacó exclama: “É a Casa de Deus”, pois “Betel” significa “casa de Deus”. A experiência que teve na­quela noite não apenas mudou-o, mas também mudou o nome do lo­cal em que dormiu. Jacó, para co­memorar o acontecimento, erigiu uma coluna e transformou-a em altar, despejando uma oferenda lí­quida ao Senhor. Anos mais tarde, Jacó, quando voltou a Betei, repe­tiu esse ato de consagração (35:9- 15). Esse ato de fé (embora causa­do pelo temor), era a forma de Jacó oferecer-se a Deus. (Veja Fp 2:17, em que “oferecer” é literalmente “libação”.) É algo maravilhoso o fato de um crente, por meio da fé, transformar um “travesseiro” em uma “coluna”!

Sugerem-se duas interpreta­ções para o voto de Jacó: (1) que ele faz um acordo com Deus ao di­zer: “Se…”; (2) que ele demonstra fé em Deus, já que se pode traduzir a palavra hebraica por: “Já que…”. Na verdade, esse é o primeiro voto registrado na Bíblia. É provável que ambas as interpretações sejam ver­dadeiras: Jacó acreditava na Palavra de Deus, mas ainda havia muito do “antigo homem” nele para que tentasse negociar com Deus, como fizera com Esaú e Isaque. Ele esta­va tão acostumado a “fazer esque­mas” que tentou planejar a forma de receber a bênção de Deus! No fim, expôs-se isso e Jaboque lidou com isso (Gn 32). Jacó retornou em paz para casa (Gn 35:27-29) e dizi­mou (v. 22). Ele percebeu que sua consagração a Deus queria dizer que seus bens materiais também estavam subordinados ao controle de Deus. Abraão praticara o dízimo (14:20), e, em ambos os casos, a lei ainda não fora dada. Os que dizem que o dízimo não é para essa era de graça esquecem o fato de que os santos primitivos praticavam o dízimo. Isso era a expressão da fé e da obediência deles ao Senhor que os guiava, os protegia e provia para eles.

Nos anos seguintes, Jacó nem sempre cumpriu esse voto. Ele “en­controu seu parceiro” em Labão, um homem de esquemas! Por vin­te anos, os dois tentaram passar a perna um no outro, mas, no fim, Jacó disciplinou-se, e Deus mante­ve suas promessas.

Conclusão

É bom que nós, os crentes, tenhamos um “Betel” em nossa vida, um local em que encontramos Deus de forma séria e em que assumimos alguns com­promissos definitivos com ele. Se nos afastarmos do Senhor, sempre poderemos voltar “a Betei” (Gn 35:9-15) para renovar nossa entre­ga. Jacó retrata o conflito das duas naturezas, pois ele sempre estava em luta com a carne e tentava de­pender de suas habilidades e pla­nos. Que bom saber que Deus zela por seus filhos teimosos!

Até a próxima semana.
 

 

É formado em Teologia,  Análise e desenvolvimento de Sistemas e Licenciatura em Matemática. Especializado  em Tecnologias de aprendizagem a distância,  produção de conteúdos digitais para a Internet e Mestre em Teologia.

 >>  MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O AUTOR

compartilhe esta mensagem:

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest
Print
Email

0 comentário em “06.03.2016. Estudo EBD: Expondo o livro de Gênesis – Capitulo 28-29”

  1. Quando estamos em provações geralmente queremos encontrar alguma explicação que justifique o porque de estamos em meio as tempestades e conflitos da vida. Bildade era amigo de Jó. Ao testemunhar o sofrimento de Jó, Bildade tenta diagnosticar os motivos de suas aflições. Bildade afirma, então que Jó estava sofrendo por causa de seus pecados, o que não era verdade, pois Jó não havia  praticado pecado algum contra Deus, que justificasse os seus sofrimentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas

CURSOS EAD
Faça um curso Ead 
Gratuito
com certificação

Entre no curso que deseja fazer e comece a assistir as aulas agora. 

Cursos a distância gratuitos

Cursos Ead parceria 
Setebras

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Introdução ao Marketing digital

Mais informações aqui

Curso Ead: Gestão de Projetos

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Gestão de Projetos

Mais informações aqui

Curso Ead: Inovação e Criatividade

Curso Ead gratuito parceria com o Setebras.

Curso Ead: Inovação e criatividade

Mais informações aqui
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
POSTAGENS ANTERIORES
Assine este site.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 6.986 outros assinantes

Faça um curso teológico Gratuito

QUER FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA GRATUITAMENTE?

Faça um curso de teologia com acesso gratuito a todo o conteúdo em nosso ambiente de educação a distância. 

 

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES


 

Veja também o nosso vídeo divulgativo:

Rolar para cima
%d blogueiros gostam disto: